sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Courrier Internacional n.º 156


Chegou hoje aos quiosques o Courrier Internacional de Fevereiro. Uma revista com Barack Obama na capa e, no interior, uma reflexão sobre o conceito de soft power, explicado numa entrevista com o seu inventor, Joseph Nye. Há quem diga que este princípio - que equivale a dar prioridade à sedução sobre a força bruta, nas relações internacionais - é a melhor arma do novo Presidente para restaurar a imagem dos EUA no Mundo.

Na mesma edição, poderá ler um texto do grande repórter inglês Robert Fisk sobre os anos da Revolução dos Cravos, que cobriu ao serviço do diário “The Times”. Regressado após 33 anos, escreve sobre as diferenças que encontrou, mas também sobre o que não mudou.

Outros temas deste mês: viagem de comboio a Myanmar, os erros de Einstein, os preconceitos dos actores brasileiros quanto à nudez, o espumante de bétula e o caso interessante das centenas de americanos sem seguros de saúde que se deslocam, todos os anos, a um local remoto do Estado da Virgínia, onde voluntários lhes prestam tratamentos gratuitos e urgentes.

Neste número do Courrier, a directora passa a ser Anabela Natário. Editora da revista desde 2005, jornalista com mais de 25 anos de currículo, é alguém a quem tenho a sorte de chamar amiga. E com quem é bom trabalhar e aprender. Deixo-lhe um beijinho de boa sorte!

Entretanto, e dada a fusão entre as redacções do Courrier e da secção Internacional do Expresso, a equipa responsável por ambos passa a ser composta por Cristina Peres, Cristina Pombo, Dulce Salomé, Manuela Goucha Soares e Margarida Mota. Além da "chefa" e deste vosso escriba, feliz no meio do gineceu.


Viktor Lazlo, Sweet, soft and lazy

2 comentários:

JoãoPaulo Cardoso disse...

Lamentavelmente mais um "Courrier" sem mulheres nuas...

Ainda assim, um abraço e bom fim de semana.

Huckleberry Friend disse...

Mentira, JP!!! Ora, compra e verás!
Abraço.