sexta-feira, 19 de junho de 2009

Pedido aos meus colegas jornalistas

Não escrevam sobre a ETA sem incluir as palavras "terrorista" ou "terrorismo", como fazem o DN, o JN e o Correio da Manhã a propósito do assassínio desta manhã. Cumprida esta condição, chamem-lhe grupo, organização, bando, o que entenderem. Dêem, se acharem bem, informação de contexto sobre as suas reivindicações e, mais importantemente, os seus meios. Nem sequer vos exijo que digam que os etarras são uns filhos da puta para quem matar e extorquir se tornou um objectivo de vida. Mas peço-vos, por favor, que não se refiram se à ETA sem dizer o que é ou, pior, chamando-lhe apenas "organização separatista basca". Isso é só meia-verdade e nem sequer é a metade mais relevante. Que é como quem diz, é mentira. A ETA é terorrista. A ETA é criminosa. E quem não perceber isto não pode informar ninguém com seriedade.

6 comentários:

MariaV disse...

Já te disse alguma vez que só gosto de gente verdadeira, que exige a verdade? É também por isso que gosto de ti. Beijo
(Ai a SOFS, ai, ai... LOL)

Sofia K. disse...

eu estou aqui, meninos... Fui alertada por uma amiga para este comentário da menina Rosa e vim cá só para dizer olá, sem querer interromper nada.

beijos aos dois e de verdade é que nós gostamos

Huckleberry Friend disse...

Beijinhos a duas VERDADEIRAS senhoras ;)

Mário disse...

Huck.
É mersmo isso: são terroristas, e só não sâo filhos da puta porque a puta, coitada, não merece tais filhos.

Huckleberry Friend disse...

É verdade... a puta merece é subir ao poder, que os filhos já lá andam há não sei quantas décadas!

Toño disse...

Gracias señor Cordeiro. Abrazos fraternos!