segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Terra molhada


Às vezes a chuva é tão forte
Que a terra, de tão molhada,
Parece cheirar a morte.

7 comentários:

João Paulo Cardoso disse...

Excelente momento de poesia.
Acho...

Um abraço.

Mateso disse...

Lá pelas bandas do azul há algo ...
Bj.

M. disse...

poeta. simples. poeta.

cris disse...

Tenho este poema do Teixeira de Pascoaes há muito tempo guardado.

Lembrei-me dele, quando te li, Huckle:

CANÇÃO MOLHADA

Gotas de som molhado
Caem lá fora,
Num ruído triste...
É o silencio gelado
Da noite que chora
Sobre tudo o que existe.
E a minha mágoa
Naquelas gotas de água
Parece encarnar.
Vago na sombra escura...
Sou morto sem sepultura
E sou nuvem a chorar...


Teixeira de Pascoaes


Beijo, e, já está quase no fim a 2ª feira, Nino :-)
Vai directinho daqui do Norte um raio de Sol. Não tarda, já vais sentir um cheirinho a bom tempo, garanto.

Cris

CNS disse...

O cheiro da terra que encerra em si todos os cheiros do tempo. Mesmo o da morte.

Anónimo disse...

Adoro o cheiro da terra molhada e sugere-me mais a vida do que a morte: vida das plantas, dos seres vivos que não se queixam dela como o homem/mulher que vai logo buscar o guarda-chuva e não suporta um gota no cocoruto:).

A chuva é linda a cair, iluminada pela luz do candeeiro da rua, sobre a folhagem que adquire um tom envernizado.
Cheira a lavado, vão-se as alergias, vai-se o pó, a terra chama por nós...

Há coisa mais bonita do que uma paisagem inglesa - Yorkshire, Cotswolds ou Lake District - com céu cinzento de chumbo e o verde tão verde que até magoa?

Bicas

Tenho fotos destes locais que te vou mandar...:)

Huckleberry Friend disse...

JP, e ainda bem que achas! Abraço.

Mateso, já vi e fiquei emocionado. Outras emoções têm-me impedido de (co)responder, mas não tardará ;) Beijinhos muito grandes.

M'zinha. querida. mesmo.

cris, é lindíssimo. Obrigado! Beijos.

CNS, é verdade. E também o da vida nova, verde e pujante! Beijinhos.

Tia Bicas, não será por acaso que uma brincadeira que os miúdos adoram é correr à chuva. E os pais deviam deixá-los, em vez de se preocuparem tanto com as constipações! Nem de propósito, hoje caiu um toró impressionante aqui em Alvalade. Uma chuvada de granizo que interpretei como salva de boas-vindas à mais recente sementinha que a minha vida viu nascer... fico à espera das fotos desses lindos lugares, nessa Velha Albion de que tenho tantas saudades. Beijinhos!