sexta-feira, 18 de julho de 2008

Bem-vindo!

19 comentários:

Periférico disse...

Nasceu mais um António? ;-)

Um abraço e bem-vindo seja o António!:-)

João Paulo Cardoso disse...

Engraçado o caleidoscópio de Antónios.
E um com belas Marias? Também ficaria giro, não?

Um abraço.

Pat disse...

PARABÉNS!! MAIS UM PARA ME FAZER SENTIR CADA VEZ MAIS A PRIMA "VELHA" LOL
BEIJOS AOS PAPÁS! E UM BEIJO AO TIO BABADO!

Pat disse...

HUMM... SÓ MAIS UMA COISITA... É O 3º ANTONIO NA FAMILIA... TODOS ELES MERECEDORES DE FAZEREM PARTE DESTA GALERIA Q AQUI APRESENTAS: O MEU PAI, O PRIMO TONI DIAS E, AGORA, O TEU SOBRINHO :D
BEIJOS!

Mário disse...

Huck
Promovido a Tio! Que upgrading - significa que podes desafiar o dito António (qual da fotografia, não sei...) para um fim de semana cheio de Jardins Zoológicos, MacDonalds, Centroxogos e outras coisas assim - os paizinhos que o eduquem. Nós vamos estragá-lo!!!!
Beijinhos, Filho, e não esperes pela demora!

virginia disse...

Que ideia tão pândega....se fosse no dia e que nasci, a página não estaria tão cheia de gente ilustre - Virginia Woolf, .....e quem mais???

Já te mandei um mail, mas esta agora vai mais séria.

I know you are still waiting for the miracle to come....but it won't be long, son (do meu mano)!!
Seize the day and the nights:))

Vai treinando:))

Bicas

ana v. disse...

Que ideia tão gira!
Parabéns ao tio babado, em breve ainda muito mais do que isso...
Beijinhos

carla mar disse...

Parabéns e um beijinho :)

Vitorino Queiroz disse...

"Pat disse...
HUMM... SÓ MAIS UMA COISITA... É O 3º ANTONIO NA FAMILIA... TODOS ELES MERECEDORES DE FAZEREM PARTE DESTA GALERIA Q AQUI APRESENTAS: O MEU PAI, O PRIMO TONI DIAS E, AGORA, O TEU SOBRINHO...

Na familia do meu querido e muito bem vindo neto, António Vitorino Cordeiro Queiroz (Manuel Vitorino Queiroz scribit...)houve um predecessor, meu Pai, Avô do Tiago e bisavô materno do António, cujo nome é António Vitorino de Queiroz, a quem, neste momento especial, presto sentida homenagem.

Qem tem memória, tem identidade.

adelaide amorim disse...

Parabéns e muita felicidade ao novo António e seu tio! Beijo voando por cima do oceano.

Mário disse...

E eu acrescentaria outro António: António Filipe Cordeiro, meu avô, pai do meu pai e que inspirou o nome do meu irmão, pai da Pat.
Complicado, não é? E já lá vão cinco!

PS. o mais jovem António está cada vez mais apetitoso!!! Isto de ter avós de primeira água é o que dá (ou seja, fica-se narcísico, palerma e tontinho... mas a culpa não é nossa!)

Mário disse...

E acrescentaria mais um: o bisavô materno: António Severino Vilhena, outro grande Homem, que vale a pena recordar.

Vitorino Queiroz disse...

Cruzaste
a porta do tempo.
Sem resplendores (chegaste)
de sol ferindo o levante,
fulges-me aos olhos - cristal
entre o sonho e a relembrança
do que não sou,do que fui.

Perante a paz do teu sono,
dentro de mim se desfralda
um jeito novo de amar.


(poema de Thiago de Mello)


Estas palavras, de presente e memória, com o contributo transmitido no espaço e no tempo por um outro Tiago

( Thiago de Mello, para ser mais preciso e grafar o nome do Poeta como ele usa e me foi tramsmitido)

são dedicadas ao meu neto António, à Filipa e ao Tiago.

Manuel

miguel disse...

Permitam que me intrometa por entre a "troca de galhardetes" - quase levei com um na cabeça :) -que traz num delicioso desassossego Queirozes e Cordeiros ( Avôs) para realçar a intensa originalidade e graça desta entrada de outro Cordeiro ( Tio ) que gerou aqui em casa uma pequena competição do estilo " quem identifica mais Antónios " sendo que uns não foram de todo identificados, outros que passaram sem serem vistos ( o Salazar , o Variações, o Carreira, provavelmente o Dvorak,certamente aquele que arrumava carros no Baleal, eventualmente o Mega Ferreira,por piada o meu barbeiro e também um dos meus sobrinhos e porque não o Saint- Exupéry e sei lá que mais )e esperando que lá para Outubro saia outra - entrada- do estilo.

Aqui em casa vamos seguindo com ternura o aparecimento desses " cordeirinhos 3G " que vão " cruzando a porta do tempo".Para os Pais do António Queiroz vai daqui um abraço , daqueles fortes , daqueles sinceros.

p.s.- e já agora , António, que chegaste à vida no mesmo tempo que o outro Queiroz, o Carlos, chegou à selecção, fica a saber que te desejo sucessos como o Prof., teu semi-homónimo, mas acima de tudo , FELICIDADES , FELICIDADE, QUE VIVAS SEMPRE FELIZ .

Carla disse...

parabéns e felicidades
boa semana
beijos

Huckleberry Friend disse...

Periférico, nasceu mais um António... mas já deu para ver que não vai ser "só mais um António" ;)
Um abraço e obrigado!

JP, faço-to um dia destes... mas olha que com Marias a selecção deve ser mais trabalhosa. A não ser que excluamos as Maria-isto ou Aquilo-maria. Prometo pensar no assunto. Abraços!

Pat, e no dia em que assim não te sentires, cá estarei para to fazer recordar, n'est-ce pas? Lol, és a prova de que a idade não se mede em anos! (a propósito, estás quase a fazer 507 meses...) Beijinhos grandes!!!

Pai, não tardarei em levar o sobrinho - talvez com ajuda de outros tios :) e a companhia d@ prim@ - a todos esses sítios e a muitos outros! Há correntes que não se podem quebrar ;) beijinhos!

Tia, veremos... a seguir à infinita Maria de que falou o JP, talvez me abalance a procurar as suas distintas (igualmente, diga-se!) homónimas. Obrigado pelo mail e pelas lindas palavras que me dedicou! Beijinhos!!!

Ana, ainda bem que gostaste (e como não, pensando melhor?)... obrigado e beijinhos!

Carla mar, obrigado e beijos :)

Caro Manuel Vitorino Queiroz, seja, antes de mais, bem-vindo a este blogue, tanto quanto o António o é ao mundo! Não esqueceremos nenhum dos vários Antónios que o novato tem na família, incluindo os que referiu o outro Avô do pequeno, seu compadre e meu Pai. Obrigado, aliás, pelo contributo que já hoje me chegou à caixa de correio. E pela poesia que aqui deixou. Um forte abraço!

Adelaide, muito obrigado. A gaivota que trouxe o seu beijo já leva outro de volta ;)

Miguel, long time no see, que prazer ler-te por cá! Sobretudo quando cá deixas palavras tão amigas, que me tocaram e que farei chegar aos demais destinatários. Respondendo às tuas dúvidas, faço saber que o Carreira, o Mega e o Éxupéry estão lá, o Dvorak e o Variações escaparam, mas o Salazar, o Borges e o Guterres foram ausências propositadas... à laia de espanta-espíritos. E, já agora, quem ganhou o concurso? Hei-de publicar as respostas aqui no blogue, em breve ;) abraço amigo!

Carla, obrigado e beijinhos!

© Piedade Araújo Sol disse...

ent�o v� l�...parab�ns ao tio do Ant�nio...

beij

Huckleberry Friend disse...

Obrigado, Piedade! E um beijinho também.

Vitorino Queiroz disse...

Boas-vindas ao
António Vitorino Cordeiro Queiroz

CREEMOS EL HOMBRE NUEVO

Creemos el hombre nuevo,
cantando.

El hombre nuevo del mundo,
cantando.

Canto esta noche de estrellas
en que estoy solo, desterrado.

Pero en la tierra no hay nadie
que esté solo si está cantando.

Al árbol lo acompañam las hojas,
y si está seco, ya no es árbol.

Al pájaro, al viento, las nubes,
y si está mudo ya no es pájaro.

Al mar lo acompañam las olas
y su canto alegre los barcos.

Al fuego, la llama, las chispas
y hasta las sombras cuando es alto.

Nada hay solitario en la tierra.
Creemos al hombre nuevo cantando.

(Rafael Alberti - Puerto de Santa María)

Com este poema convoco, o estar-viver cantando, da bisavó paterna do António -uma " flor linda" - que murchou quando o amor se lhe acabou e, a dor lhe calou as cantigas que trauteava em louvor à vida e ao amor a um outro António Vitorino de Queiroz, seu Marido e meu Pai.

E, nesta imaginária galeria feminina, de "não antónias", não pode ser esquecida a admirável força serena de uma brava tia -” bisabuela”, do António, que me cantava canções da sua Galicia natal nas terras ásperas do Douro.

Lembro, ainda, a doce e terna guardiã de memórias e lugares, anjo da guarda dos Queiroz (es), agora e sempre – a tia avó do nóvel António, minha querida irmã, Maria Antonieta.

Para o meu António Vitorino, aqui deixo esta pequena galeria de figuras femininas fundadoras e estruturantes.
Um dia, mais tarde, outras memórias evocarei ao meu neto António Vitorino, para que conheça também estas suas raízes.