sexta-feira, 25 de julho de 2008

Courrier Internacional n.º 150



Os números redondos valem o que valem, mas este tem um gosto especial. Está ao vosso dispor, a partir de hoje, a edição de Agosto do Courrier Internacional. Em destaque, as mudanças por que passou a vida a dois: são muitas, mas não chegam! Em mês de Jogos Olímpicos, a revista dá a conhecer os torneios de Nemea, que nos levam de volta à Grécia Antiga, e explica porque é que os islandeses são o povo mais feliz do mundo. Tempo ainda para ler as opiniões de peritos sobre a real força da Al-Qaeda e a extraordinária história do jornalista que descobriu que a namorada era... uma mercenária a soldo da guerrilha colombiana de extrema-direita. Já que é Verão, passeemos pela praia, mas em Gaza. E, a não perder, uma sugestão gastronómica para quem tiver estômago: há um restaurante em Pequim que só serve pratos à base de testículos e pénis dos mais variados animais.


Serge Reggiani, Le vieux couple

11 comentários:

João Paulo Cardoso disse...

Que fascínio tão grande pelo "Courrier"!

Por acaso não trabalhas lá, não?

Um abraço e bom fim de semana.

Sophiamar disse...

E se trabalhas no Courrier, acho que sim, fazes bem em divulgá-lo aqui.
Já agora, amanhã vou comprá-lo. Ai este restaurante de Pequim!

Beijinhos

tiagovqueiroz disse...

Nada como o fascínio por aquilo que se faz bem e com dedicação.

Os números redondos valem o que valem, mas tendo em conta que a vida é feita de pequenos nadas, parece-me que os números redondos não valem assim tão pouco...

Onde estavas tu à 150 números? Onde estarás daqui a outros 150?

Como sabes somos assinantes e coleccionadores dessa peça rara da imprensa nacional... ficamos à espera!

Um abraço.

TQ

Mário disse...

Como agora é mensal, é sempre bom ter alguém que nos relembra a necessidade de comprar a´edição mais recente.
Fá-lo-ei hoje, para ler na cama antes de dormir.
Bom fim de semana

Por entre o luar disse...

Beijinho e sorrisO*

purita disse...

ui, nham nham!:D

Mário disse...

Não precisei de comprar o Courier. Hopje, no combóio para o Algarve, podia-se escolher um jornal/revista, entre TV Mais, Correio da Manhã, Record e Courier...

Acredito que seja um forte investimento da CP... mais do que um despejar das sobras da Impresa (até porque era a edição que o Pedro aqui refere, a mais recente).

Mário disse...

A propósito ainda de um dos temas desta Entrada, vale a pena ter em conta a enorme variabilidade fálica no Reino Animal: por exemplo, a maior parte dos sapos e rãs praticam o que se pode realmente chamar "sexo seguro" porque, embora os sexos das fêmeas e dos machos se aproximem, não há verdadeira penetração – o macho derrama o esperma na água ao mesmo tempo que a fêmea põe os ovos, e depois é deixar que a natureza e as forças físicas e químicas actuem.

Os répteis foram os primeiros animais na escala evolutiva a "optar" pela penetração, havendo algumas espécies em que o macho até tem um pénis bifurcado. Os pássaros, imaginem, conseguem ter relações em pleno voo - havia um filme erótico famoso, nos anos setenta, em que um casal tinha relações em pleno voo... só que era na casa de banho do avião...

A maior parte dos animais com pernas têm pénis, embora possam ter formas diferentes e estarem em pontos diferentes do corpo. Alguns roedores têm pénis encurvados no meio e muitos animais têm-no ao nível da barriga. Com a posição bípede perdeu-se a ligação do pénis ao abdómen e o órgão passou a estar na posição que todos conhecemos.

Na natureza, passam-se, contudo, algumas coisas bizarras: alguns animais, por exemplo, têm um osso no meio do pénis (o que porventura será um dado científico interessante e motivo de inveja para muita gente). Trata-se de animais que têm que ter erecções muito prolongadas e, “coitados”, precisam de algum "suporte" moral (e não só). Outros animais têm escamas, espinhos e coisas assim, que servem para atrair a fêmea e para "bloquear" o coito, de forma a prolongá-lo, embora isso também os torne muito vulneráveis aos ataques de predadores, enquanto estão "em funções" (pois é, não há “bela sem senão”).

O homem tem o “phallus” maior de todos os primatas (olé!), e isso, supostamente, a acreditar que “a natureza não se engana”, será com certeza para provocar a atracção do sexo oposto... todavia, hoje em dia, estou convencido que o que atrai mais uma mulher é a presença de um preservativo do que as dimensões do “dito”.
O órgão genital humano varia muito de tamanho, conforme está ou não em erecção... e, mesmo assim, há “coisas” maiores e “coisas” menores, não existindo qualquer relação entre o tamanho e o grau de satisfação sexual para o próprio ou a que causa aos outros.

Huckleberry Friend disse...

JP, trabalho no Courrier, sim senhor, mas o que sinto não é fascínio... muito amor por um projecto no qual estou envolvido desde o berço, brio, alegria quando o trabalho sai bem feito, mas, acima de tudo, sentido de responsabilidade e autocrítica. Ter fascínio pelas coisas que fazemos não é boa política...

Sophiamar, já provei muita coisa, mas acho que não iria ao tal restaurante... espero que compres a revista e que gostes. É para isso mesmo que a divulgo neste ninho! Beijos.

Tiago, "valem o que valem" não é dizer que valem pouco... é a tal história de não nos deixarmos obnubilar. Há 150 números estava no mesmo piso, mas no extremo oposto. Era mais puto, sem dúvida, na vida e no trabalho. Daqui a 150, quem sabe? Mas espero que gostes dessa edição! Abraços.

Pai, o ritmo mensal obriga a estes lembretes, porque mais depressa nos (vos) escapa um número do que quando éramos semanário. Fico feliz por ver que a CP contribui para reavivar a memória dos leitores! Beijos.

PS: Obrigado pela palestra penil. Dados muito interessantes... ficamos a saber que sexo com rãs é pouco estimulante... um pouco como os radiologistas: "dispa-se, não se mexa, não respire, já está".

Por entre o luar, obrigado e outro tanto para ti ;)

Purita, LOL ao quadrado!

EC disse...

Não leio o Courrier, mas vou repensar as minhas escolhas... é sempre bom saber onde se serve o quê e quais os respectivos acompanhamentos :) ***

Huckleberry Friend disse...

LOL... e devias ver as fotografias, EC. Sim, porque caso eu não tenha dito antes, a reportagem é copiosamente ilustrada!