sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Courrier Internacional - edição de Março

Chegou hoje às bancas o n.º145 do Courrier Internacional, o segundo em formato de revista mensal. O tema em destaque é o aperfeiçoamento do corpo humano através da ciência: que promessas, que riscos? Mas também há uma viagem ao Iémen, muitas receitas de gnocchi e o relato da viagem da fuga da corte portuguesa para o Brasil, há 200 anos.

Aqua, Barbie Girl

8 comentários:

Mário disse...

Não é por ter interesses no Courier nem por ser pai de um dos seus jornalistas que aconselho a compra e leitura calma e plácida do mesmo. Vale mesmo a pena.

Então? De que é que estão à espera? Há papelarias abertas e os centros comerciais só fecham à meia-noite!

Aproveito também para deixar um lindíssimo poema de Torquato da Luz, já que se falou dele umas entradas abaixo, mas se o colocasse lá provavelmente ninguém já leria:

Talvez o fim não seja o fim
e ainda haja mais qualquer coisa além do fim.
Talvez ao fim da noite que não finda
haja um dia sorrindo para mim.

cris disse...

E eu trago-te o sorriso da minha filha mais velha, a João, prestes a ser tua colega :-)
Parte, em Setembro, para Amsterdão, para fazer um semestre de jornalismo...
E a mim, parte-se-me a alma por vê-la ir, mas, paradoxalmente, babo-me porque vou ter uma jornalista.
Era um dos meus sonhos.
Maravilha da Natureza, passei-lho, e, agora, já está a preparar tudo para ir...
É uma das revistas que por aqui se lêem :-) Huckle!

Enquanto isto, a mais nova já fez o calendário e já está na fase de ir cortando os dias que faltam para o concerto dos The Cure.

Que duas gringas eu arranjei, Migão!

Votos de um fim de semana em cheio.

Torcato da Luz escreve mesmo!

E um beijo e um abraço apertado,
Cris

Por entre o luar disse...

olá:) está no bom caminho:D

Beijinho grande e sorrisinho**

Huckleberry Friend disse...

Saltando por cima da publicidade paterna - sempre grata -, gosto de ver que as sugestões bloguísticas que aqui vou deixando surtem algum efeito. Os poemas do Torquato merecem mesmo ser lidos.

Cris, quase que aposto que a João vai adorar Amesterdão... pelo que conheço da cidade, deve ser fantástico viver lá como estudante! Há-os às mãos-cheias, de bicicleta em riste, a ler nas esplanadas junto dos canais, a gozar a noite... a aproveitar o sumo da vida! Como faz, pelos vistos, a irmã mais nova. Menos de uma semana para os The Cure, que infelizmente não posso ir ver. Beijinhos e boa semana!

Por entre o luar, beijinhos e sorrisos também para ti. E em que fase está a lua, que ontem me esqueci de ir ver?

cris disse...

Huckle, se for como aqui a perder guardar-chuvas, vou ter que pedir um empréstimo extra, para compra de bicicletas.
Despistada como ela é, e, ao vermos aqueles parques monumentais de bicicletas, já a estou a imaginar, louca de todo.
Ou então, lá vai para casa com uma "bicla emprestada"...rsss

Vai adorar, sim!
Foi sempre a 1ª opção e com a média que tem, só por grande azar é que não vai.

Não fazia a mínima que o Torcato da Luz era o teu Paizão! :-)
Já estou a ver a quem sai o filhote, pois está claro!

Que surpresa tão gira, tive agora.

Escreve bem, mas bem!

Parabéns a dobrar, para ti e para o Pai Torcato.

Quanto aos The Cure, a mais nova sorri-se toda para o bilhete.
Azar que calha numa altura em que não posso ausentar-me do trabalho :-( Mas ao Rock in Rio vou!


Beijo, e, boa prosa, Amigo!

Cris

Huckleberry Friend disse...

Cris, vejo que a tua filha tem, à partida, todas as condições para se adaptar ao ritmo louco de Amesterdão... não serão nove milhões de bicicletas (como na canção da Katie Melua sobre Pequim), mas de certeza não ficará apeada.

Desfaça-se, porém, um equívoco. O Torquato da Luz não é o meu pai! É um blogueiro que aprecio bastante, mas nem sequer nos conhecemos pessoalmente... o meu pai é o Mário que comentou antes, mencionando o Courrier e o Torquato. Daí a minha menção à "publicidade paterna"...

Beijinhos e bom concerto para a pequena!

cris disse...

Ah! Está desfeito o engano. Quanto à Katia Melua, essa deve ser das únicas canções de que gosto, dela.
De resto, ela que me desculpe, mas não gosto muito.
Num blog que tive, fiz um texto e a música que o acompanhava era precisamente essa.

Quanto à Janeca. ela vai curtir mil!
Está neste momento só com aulas de jornalismo (a opção foi tomada no final do semestre)e adora o prof!
Por coincidência, tem também um outro, que foi meu prof, o Zé Manuel Mendes (ex-deputado) que é uma coisa notável!
E agora vou ver o prémio que me atribuiste :-)
Mereço?
Sem pudor o meu ego encheu...rssss
Quanto ao vocábulo, já estou a pensar na forma de lhe pegar, Amigo, e, escrever com ele...ainda não sei bem o quê...se prosa, se poesia.
A ver vou :-)
Beijitos, Huckle.

A Ritoca está nas nuvens.
Ir ver os The Cure vai ser uma curte!

Mas, o grupo de eleição dela, é, óbvio, os Pearl Jam.
Tem tudo, tudo, deles!
O que me virei para lhe arranjar as t-shirts originais!

E o teu pai também tem blog?
Bem que cliquei, mas não consegui encontrar o perfil :-)

Huckleberry Friend disse...

Cris, não me conformo no que toca à Melua... ora, ouve esta versão da Angie, num dueto da Katie com o Kubb. Ou estas duas parcerias póstumas com a formidável Eva Cassidy. Queres mais? Piece by piece ou If you're a sailboat. Logo me dirás...

Quanto ao prémio, faz como eu: não perguntes se o mereces, decide antes quem são aqueles a quem o queres passar! E o outro desafio mantém-se, para cumprir quando houver tempo. Beijinhos!

PS: Fico contente com as notícias da primogénita futura colega.

PPS: O meu pai tem blogue, pois. Chama-se O espaço azul entre as nuvens.