quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Às quatro e picos...

Um primeiro afloramento galego. É de há cinco anos e vale para os próximos cinco mil. Mas não como mero mote. Quando ouço dizer "as coisas resolvem-se", respondo: "Nós é que temos de resolvê-las". Tudo vale a pena se a alma não é pequena? Não se nos apequene a alma nos momentos grandes. Não apouquemos a dos outros e façamos por sarar as almas que ferimos. Como as praias da Galiza, que um dia vi cobertas de chapapote e estão agora lindas, graças ao esforço de muita gente anónima. A humildade aprende-se. É ela e não o orgulho que nos torna capazes de mudar o mundo. "Quoth the raven: nevermore". Só assim é sonhável o forevermore.

4 comentários:

marta disse...

"as coisas resolvem-se"

é tipicamente português.

Nan, comigo nunca funcionou, deve ser da minha impaciência.
Tudo tem se resolver já.

o que às vezes também dá maus resultados

Huckleberry Friend disse...

A quem o dizes... entre o deixar andar e o precipitarmo-nos vai uma nesga de lua. Beijo.

MariaV disse...

Pois é, infelizmente por cá cada vez menos gente sabe sequer o que é humildade.
E adorei o "Não se nos apequene a alma nos momentos grandes".

M. disse...

adoro o the raven.
tenho a mania do 'as coisas resolvem-se' . arrasto-me, é nato.
não encontro a courrier. now what?:/
*