quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Certos silêncios

O Bruno lembrou, e bem, como é bom ouvir o som do silêncio. Por já ter saudades de certos silêncios - ou melhor, dos silêncios certos -, por me apetecer muito voltar a Central Park, por gostar de quase tudo quanto esta dupla faz, cantem comigo...


Simon and Garfunkel, Sound of silence
(ao vivo em Central Park, 19 de Setembro de 1981)

10 comentários:

Pat disse...

The sound of silence... Como é bom ouvi-lo... É no som do silêncio que me refugio muitas vezes para pensar em tudo, ou em nada. Saborosa melancolia.
Neste dia especial, não te vou dar música, deixo-te apenas, a ti, querido primo, um beijo enorme no teu coração.

Carla disse...

não canto por respeito aos ouvidos alheios mas partilho do gosto e da vontade de ouvir o som do silêncio

Huckleberry Friend disse...

Prima, guardo do teu comentário duas palavras: saborosa melancolia. É a minha nesta tarde que o teu beijo veio aquecer. Toma lá outro!

Carla, sintonizados que estamos, gozemos os sons e os silêncios do mundo que nos rodeia. Beijinho.

Toze disse...

Leva muitos anos da vida a aprender os silêncios .

Este é um bom som de silêncio, sem dúvida :)

Huckleberry Friend disse...

Bem-vindo a este ninho, Tozé. É verdade que não é simples a aprendizagem do silêncio... entre outras coisas, obriga a muitos momentos de ruído estrepitoso. Valha-nos a música, depois da cacofonia. Um abraço, volta sempre!

cris disse...

Este concerto era um dos preferidos do meu Pai :)
Já não vi os dois ao vivo, mas vi o Simon e adorei (apesar da seca que apanhámos até que ele chegasse...rsss)
Claro que valeu a pena!

Grupo bom ao vivo:
Nouvelle Vague.
Não percas!
Boa onda, mesmo!
E, claro:
Gotan Project, sempre!

Mais?
Hummmm...
Bobby McFerrin (notável!) Ele faz o que quer com a voz!
Também, não admira, com a formação musical que tem!!!
E para ouvir? E não pensar em mais nada? Keith Jarrett, claro!

Sou uma chata!
Adoro música!

Beijitos
e estava a meter-me contigo, quando foi de contar as palavras...rssss

Cris

Por entre o luar disse...

Hello:)

Beijinho lunar num dia muito brilhante=P

Sorriso***

Huckleberry Friend disse...

Cris, ouço este concerto vezes sem conta, até sei de cor algumas das partes em que eles falam ao público entre canções! Um bocado doentio, eu sei, mas merecem... eu vi o Simon em Alvalade, em 1991, e adorei. Aliás, mais tarde ele repetiu esse concerto - com batuques brasileiros e africanos - no Central Park. Voltamos sempre ao local do crime, não é?

Aponto as tuas sugestões musicais, que vão animar a redacção do Courrier Internacional esta tarde lolol. E ouve com atenção: não és nada chata e adoro a forma original dos teus comentários. Vem sempre! Beijos.
PS: Ontem estive a tentar convencer uma tia minha a ir com a filha, de 14 anos, ao concerto dos The Cure... ring a bell?

Por entre o luar, o meu dia não está a brilhar muito, mas ficou um bocadinho menos baço com esse beijinho, que me fez sorrir. Obrigado!

pin gente disse...

que boa forma de começar a manhã.
cantei contigo...

uma letra que, no seu silêncio, diz muito!

people talking without speaking
people hearing without listening
people writing songs that voices never share...



abraço
luísa


ps - queria deizer-te como vim aqui parar... acho que vim do blog da carla mas não estou certa!

Huckleberry Friend disse...

Pin gente, se te fiz cantar, já valeu a pena ter posto aqui esta entrada. Tens razão, a letra diz tanto como certos silêncios que às vezes teimamos em não ouvir... Não importa como cá vieste parar, a verdade é que estás cá e gostei do que escreveste, por isso volta sempre que te apetecer. Beijinho.