segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Hay tanto mundo que ver

Pablo Picasso, Mujer en el jardín

Instalação de Sáenz de Oiza, Arco2008

Kokotxas de merluza

Terrace-bar Granados 83


Chocolateria San Ginés

Amedeo Modigliani, Nu recostado (1917)

Apetece-me inaugurar a semana com a música que inaugurou este ninho e com o verso que dele se tornou lema. Até porque encontrei uma versão na língua que ouvi e falei nos últimos dois dias - e que adoro. Há muito, muito mundo para ver, até nos sítios onde já fomos repetidas vezes. Prometo volver, Madrid!


Pedro José Sánchez Ramírez, Moon River
(da banda sonora de La mala educación)

13 comentários:

M. disse...

ainda não fui a madrid. já sei que voces são habitués...
volver é uma palavra bonita.

Sandy disse...

E quando poderemos "volver" em conjunto?
É claro que o guia serás sempre tu e ainda há terceiros que não conhecem!

Beijos

Carla disse...

há tanto mundo para ver e Madrid provoca os cinco sentido de quem percorre os seus recantos

Huckleberry Friend disse...

M., vai! Vai, vai, vai! Não percas nada daquela cidade magnífica, se precisares de sugestões apita. E sim, volver é uma palavra lindíssima. Em castelhano até mais do que em português... beijinhos para ti.

Sandy, querida, vuelvo a Madrid cuando quieras! Contigo, com quem te apetecer trazer (hehe) e veremos com quem mais. Bem sabes que sempre adorei partilhar aquele lugar com as pessoas de quem gosto... Quando lá vivia, houve visitas inesquecíveis. E já antes disso me lembro de uma certa conga na Puerta del Sol. Besitos, cariño!

Carla, Madrid puxa pelos cinco sentidos e desperta em nós mais um sexto ou sétimo. Voler allá é sempre, sempre uma descoberta. Beijos.

rato do campo disse...

Gostei muito da instalação de Sáenz de Oiza! Abraço!

Huckleberry Friend disse...

Foi um excelente aperitivo para a Arco, que este ano surpreendeu menos do que de outras vezes, mas não deixou por isso de merecer ser visitada. É bom ver o que se anda a fazer de novo no mundo das artes e voltar a apreciar aquilo que já se tornou intemporal. Além de que a Arco é, como já devem ter percebido, um pretexto anual para mais uma ida a Madrid. Abraço!

Mário disse...

Saudades de Madrid e saudades de lá ir contigo.
Ainda tenho a fotografia que tirámos na Plaza Mayor, tu com um cabelo à revolução (enorme) e magro que nem um cão, mas feliz no El Pais (agora reparei: rimas espontâneas mas quase inoportunas).
Havemos de lá ir na Primavera, Huck.
Bjs

purita disse...

não sou muito de fritos, mas esses churros estão com optimo aspecto!

Huckleberry Friend disse...

Pai: saudades de Madrid também eu, apesar de lá ter estado há tão pouco. E essa poesia quase à António Aleixo, de onde vem tão inspirada?

Purita, acredita... são deliciosos a qualquer hora do dia e da noite, mas especialmente a partir das três da manhã, depois da movida. Beijinhos.

pin gente disse...

e a mostra que aqui deixas regala os olhar.

abraço

Migas disse...

Ai essa chocolateria! Que tentação... Vejo que quando lá for posso pedir-te conselhos sobre sítios a visitar! :o) Belas fotos!

Beijinhos

Mário disse...

O mundo é mesmo grande, e rico. Basta olhar para as árvores que começam já a despontar, ou as flores rosadas das cerejeiras.
Basta olhar, para ver que, desde que se esteja vivo, há sempre algo na natureza e no mundo que comunica connosco - espelho de nós próprios, que somos sempre o maior amigo de quem está do outro lado do espelho.

Huckleberry Friend disse...

Pin: é mesmo só a ponta do icebergue. O fim-de-semana foi de arromba! Abraços

Migas: ao teu dispor sempre que precisares de sugestões madrilenas (e de algum outro sítio também se arranja... ). San Ginés é uma das minhas paragens obrigatórias em Madrid, que delícia de chocolate, é daqueles em que a colher quase se aguenta de pé! Beijinhos.

Pai Mário, bela reflexão. Mas com o amigo espelho é preciso ter cuidado: por vezes diz-nos apenas o que queremos e não o que precisamos de ouvir. Essa tarefa é melhor cumprida por outros amigos, mormente os de carne e osso. E mesmo estes, nem todos se atrevem... beijinhos.