sexta-feira, 11 de abril de 2008

Cais das Codornizes (XI)


Entre cais e codornizes, temos seis irmãos - três manas e três manos. Fazem um corte transversal na pirâmide etária: são adultos, adolescentes e crianças. Têm semelhanças entre si e connosco, mas, sobretudo, personalidades vincadas e singulares. É a eles e a elas que dedicamos a esta Maninha, porque os irmãos estão sempre lá para nós, a recordar canções e a afastar papões. Como não podia deixar de ser, escolhemos versões cantadas por irmãos: Caetano e Bethânia para a Sofia, Chico e Miúcha para o Pedro.


Chico Buarque e Miúcha, Maninha

Se lembra do futuro
Que a gente combinou
Eu era tão criança e ainda sou
Querendo acreditar que o dia vai raiar
Só porque uma cantiga anunciou

4 comentários:

Por entre o luar disse...

Beijinhos lunares:) já com o tempo melhor:D

Sorrisito=P

addiragram disse...

Os nossos irmãos são partes de nós e nós partes deles. Gostei muito de ouvir a canção.
Um obrigada pelo lindo presente que deixaste no "Aguarelas".Um beijo também.

Meg (sub Rosa) disse...

Caro Huck:-)
Essa é uma das letras (lyrics)mais inspiradas de Chico. Daquelas que não são superadas.
A forma tão simples e um mundo de coisas a dizer entre as transversais do(s) tempo(s).

Sempre um deleite vir até aqui.
Um abraço

Huckleberry Friend disse...

Por entre o luar, olho pela janela e só consigo mandar-te um beijinho... SOLAR! E um sorriso aberto ;)

Addiragram, não tens de quê. E viva @s maninh@s! Beijos.

Olá, Meg! Concordo, é das melhores músicas que o homem escreveu... absolutamente intemporal. És sempre bem-vinda ao codornizes, e eu também dou uns saltinhos ao teu espaço sub-rosa! Beijinhos.