terça-feira, 22 de abril de 2008

Para quê complicar?

Ingredientes: uma única folha de papel, tesoura e mãos. Eis as obras apresentadas a um concurso da Galeria Hirshorn de Washington DC, ou de como pouco pode chegar para fazer muito. É só querermos... (obrigado, prima Peanut, por me teres mostrado isto!)


























22 comentários:

Baudolino disse...

Imagens fantásticas!
abraço
p.

Por entre o luar disse...

Há dias recebi esse mail:) adorei mesmo, simplesmente fantástico**

Beijinho e sorriso:)

Teresa disse...

Absolutamente encantador!
Fico a olhar, fascinada, como uma criança de cinco anos.

Ludgy disse...

Fabuloso.

anamoris disse...

GENIAL!!!
Obrigada

Rato do Campo disse...

Que espanto. Less é, de facto, more! Abraço!

macaw disse...

Espectácular! adorei as imagens!
já tinha saudades de cá passar, mas às vezes o tempo escasseia! ;

bjinhos :)

Manuela Viola disse...

Que maravilha! Obrigada por nos mostrares. Bjo.

Em Bicos de Pés disse...

Muito giro.

Huckleberry Friend disse...

Baudolino, bem-vindo a este ninho e obrigado pelo comentário! Um abraço, vou agora visitar o teu blogue, que já ontem ouvi elogiar!

Por entre o luar, beijo e sorriso para quem sabe apreciar coisas bonitas :)

Teresa, é mesmo de ficar a olhar como uma criança... e lembrar os trabalhos de cortar e colar que fazíamos na pré-primária (talvez seja própria da infância a sabedoria da simplicidade...)! Beijinhos.

Caro Ludgy, é sempre um prazer ver-te por cá. Também tu és um amigo das coisas simples e boas. Um abraço, por isso mesmo!

Anamoris, não tens de quê. Sabe bem partihar estas coisas...

Rato do Campo, nunca melhor dito! Um abraço para ti!

Macaw, também este ninho tinha saudades de que por cá esvoaçasses. Beijinhos!

Manuela Viola, as maravilhas são para espalhar pelo mundo! Beijos.

Em Bicos de Pés, idem idem, incluindo os beijos.

Carla disse...

obrigada por nos teres mostrado isso. Lindas imagens
beijos

adelaide amorim disse...

Super-interessante. Com habilidade, conseguem-se maravilhas com papel e tesoura.
Um grande abraço.

Sofia disse...

Que giro, também gostava de saber fazer uma coisa destas... adoro o da bailarina!

beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Ora essa, Carla! Obrigado a quem lhes prestou a devida atenção! Um beijinho.

Adelaide, estou cada vez mais convencido de que a simplicidade é a maior das artes. Beijos para ti.

Sofia, não me admira que tenhas escolhido essa... vá, escolhe uma música para pormos a tocar no salão de baile! Beijinho grande.

Mena G disse...

Já conhecia estas fotos e perdi o mail onde as recebi.
Foi mesmo agradável revê-las assim, postadas num blog que não comento muito, mas visito bastante!
Depois de as vermos, pensamos duas vezes, frente a uma folha de papel branco...

Mateso disse...

Desconhecia e acho-as simmplesmente fabulosas.
Bj.

Huckleberry Friend disse...

Mena, alegra-me ter recuperado estas maravilhas perdidas. Gosto das tuas visitas, comenta se e só se te apetecer...

Mateso, é como diz a Mena. A angústia perante a folha em branco ganha um novo sentido!

Beijos para as duas!

carla mar disse...

Obrigada, pela linda partilha.
Um beijinho, para ti :)

Huckleberry Friend disse...

E outro para ti, Carla! Partilhar é, a meu ver, um dos nobres objectivos da blogosfera. E agora vou dar um salto às... luas de ti. Bom fim-de-semana!

av disse...

Absolutamente fascinante, Pedro.
Isto é arte, sem dúvida.

JG disse...

Também não é assim tão fácil, Pedro. Além da folha de papel e da tesoura, é necessária muia imaginação, arte e engenho. Não é para qualquer um.

Um abraço

Huckleberry Friend disse...

Sem dúvida, Ana! Beijos.

JG, eu não digo que seja fácil! Pelo contrário, acho que é difícil fazer tanto (e tão bom) com tão pouco. De onde o aplauso boquiaberto... abraços!