segunda-feira, 14 de abril de 2008

Um mimo à hora do almoço

Era miúdo quando comecei - sem dar por isso - a trautear o Concerto n.º20 para Piano e Orquestra de Mozart (K466). Nas noites da Praia da Luz e nas tardes de Inverno do Toxofal, o meu pai punha-o a tocar num leitor de cassetes que veio a ser, mais tarde, o primeiro que tive na minha mesa-de-cabeceira. Brincar com música de fundo é uma forma nada chata de aprender a apreciar coisas bonitas.

Hoje, uma leitura matinal deu-me vontade de voltar a ouvir este concerto. Não era um texto sobre música nem sobre memórias de infância, mas deixou-me na boca um sabor a pureza reencontrada. Furto-me a dizer mais sobre o que li e peço a quem mo mandou que não se denuncie, caso leia isto. Mas, por ter ficado sem palavras, quero agradecer com música.

Wolfgang Amadeus Mozart, Concerto n.º20 para Piano e Orquestra K466 (Friedrich Gulda, ao piano, dirige a Orquestra Filarmónica de Munique)

1. Allegro (dois primeiros vídeos)
2. Romanze
3. Allegro assai Rondo


1. Allegro (primeira parte)


1. Allegro (segunda parte)


2. Romanze


3. Allegro assai Rondo

7 comentários:

anamoris disse...

Boa Trade Huck
Cada vez gosto mais de Mozart. Tenho aqui na Agência um colega que é especialista em música, o pai dele é o Sr. que fazia o EM ÓRBITA, é fantástico o que ele me tem feito descobrir. Ando fascinada com a Bartoli, que é maravilhosa.
Beijos

Huckleberry Friend disse...

Olá, anamoris! Também adoro Mozart e vi a Bartoli ao vivo, este ano, na Gulbenkian (clica aqui). Beijinhos!

Por entre o luar disse...

:) beijinhos grandinhos e sorrisinhos=P

CVD disse...

Sei do que falas, quando era pequenina adormecia muitas vezes ao som da antena 2 enquantoa minha avó lia ... adormecia embalada por bonitas melodias e fui, sem querer e sem saber nomes nem compositores, aprendendo a ouvir música clássica... há concertos, andamentos de concertos e às vezes até pequenos excertos que, quando os ouço me trazem quase inexplicávelmente uma enorme nostalgia e ao mesmo tempo tem uma enorme sensação de conforto...sei do que falas primo!

Huckleberry Friend disse...

Por entre o luar, um beijinho em sustenido e um sorriso em bemol ;)

Prima querida, afortunados os que têm casas e famílias por onde circula a música. É a melhor forma de contágio quando ainda somos pequenos para sabermos que gostamos de música clássica (ou para admitirmos que gostamos; recomendo-te, a propósito, este texto da Sofia). Algumas das memórias de que falas são-nos comuns... avós, tias e pais tiveram nisso um papel precioso. Ai, agora vieram-me umas saudades da Festa da Música! Beijinhos.

av disse...

Magnífica escolha, Huck, e muito sugestiva. Emocionei-me.
Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

;)