quinta-feira, 13 de março de 2008

Noites longas

Conversas pela madrugada dentro, à volta de vinhos do Douro e após repasto a cheirar a Índia, com idas esporádicas à janela para fumar uma cigarrilha, lembraram-me esta quadra.

O vinho dá-te o calor que não tens;
suaviza o jugo do passado e te alivia
das brumas do futuro; inunda-te de luz
e te liberta desta prisão.

Omar Khayyam, Rubayat

12 comentários:

Amélia disse...

Não tenhas dúvidas. 'suaviza o jugo do passado e te alivia
das brumas do futuro'... perfeito!

Um beijinho

av disse...

Um bom vinho sabe sempre bem e ajuda muito, mas a tua luz vem de dentro, não duvido!

Um grande beijinho

Huckleberry Friend disse...

Amélia, um dia destes convido-te para tomar um copo ;)

Ana, obrigado. Só :)

Mário disse...

In vino veritas.
E com a verdade nos libertamos.

(e também com caril e outras coisas boas...)

macaw disse...

ainda que só por uns momentos... mas a vida é mesmo feita de momentos, certo?!

gostei da poesia... e do vinho, claro!

bjinhos ;)

Por entre o luar disse...

Beijinho do luar para ti:) um enorme sorrisinho*

purita disse...

o programa perfeito..douro ou alentejo!
também me presenteei no fim de semana com sabores indianos!!:)

Huckleberry Friend disse...

Pai, sirva mais um copo! Beijinhos.

Macaw, é mesmo feita de momentos. Bons e maus. Cabe-nos saber doseá-los e retirar o máximo e o melhor de uns e outros. Sei que dizer isto é banal. Conseguir fazê-lo é fenomenal. Beijos!

Por entre o luar, um brinde com vinho tinto à luz da lua. Beijos!

Purita, é sempre um prazer descobrir gostos comuns! Beijinhos.

miguel disse...

Um bom poema nao se explica. Pode ser longo ou curto. Decifrável ou indecifrável. Pode ou não rimar. Ser antigo ou moderno.Ser triste ou alegre.

Mas o bom poema, eu não consigo explicá-lo: talvez a geometria dos sons; a proporção exacta das palavras dentro dele;a surpresa; e mais que tudo, a simplicidade dos génios.Não sei - tudo isto ou nada disto.

Este que aqui colocaste, é dos bons, vá-se lá saber porquê. A net é um mundo infindo e maravilhoso porque entre outras coisas dá-nos a conhecer poetas que de outro modo nunca conheceríamos, através da cultura e curiosidade de jovens como tu, cuja cultura e curiosidade aqui vão sendo descobertas. Rico e infinitamente livre , este mundo da net: criação dos homens,fazedores da liberdade e de Deus, certamente o inventor dela.Tomara que todos sem excepção a pudessemos compreender.
São poucos, mas já viram a listagem dos países que censuram a net?

Huckleberry Friend disse...

Caro Miguel:

Um bom poema é um bom poema é um bom poema... e é verdade que os mundos real e virtual estão cheios de poesia. Aconselho-te esta reflexão do poeta Torquato da Luz, que tem um belíssimo blogue. Abraços e bom fim-de-semana!

Migas disse...

Que programa perfeito! :o)

Um beijinho

Huckleberry Friend disse...

Foi muito bom, Migas. E é para repetir. Como vai tudo pelo Sul? Já tinha saudades de uma visita tua, escreve a contar coisas! Beijo.