domingo, 30 de março de 2008

Músicas que ficaram (V)

Mais discos da minha vida, em longuíssima resposta a um pedido da Martini (cujo blogue vos recomendo). A ordem alfabética gerou, desta vez, um trio de raízes latinas, composto por músicos a quem podemos chamar cidadãos do mundo. A abrir a remessa, o homem que tem a pole position na minha discoteca pessoal. Trinta e tal anos de música, fãs que são filhos e netos de fãs, abertura mental e musical a novos sons, ideias e pessoas, originalidade à flor da pele. Eis Sérgio Godinho em meia dúzia de penadas. Fiquem com uma canção que não figura nas compilações, mas que é um retrato lindo dos tormentos que o amor nos faz passar.


Pano-cru, Sérgio Godinho (Segundo andar direito)

A segunda convidada de hoje é a estranha Lula Pena. Nascida em Lisboa, com passagem por Barcelona, reinventa o fado, atira-se ao repertório brasileiro e procura sonoridades mais longínquas. Há uns anos, trouxe um instrumentista iraniano à Culturgest, para um recital a que lastimo não ter podido assistir. Vi-a, há meses, num bar do Bairro Alto. Aquela voz quente numa noite fria despertou afectos e semeou saudades. Saudades, entre outras, de tardes em que ouvia o disco Phados no pátio de trás do Baleal, deitado na tijoleira quente como o timbre da Lula, sem conseguir que (quase) ninguém gostasse dela... o raspanete que levei, certa vez, por ter ido à minha vida (ao mergulho do fim do dia, naturalmente) deixando ligada a aparelhagem "com essa gaja que nem voz tem"! Tem voz, sim senhor. O que não é é chapa um! Ouçam-na aqui em baixo ou vão ao YouTube, onde há vídeos de actuações recentes.



Phados, Lula Pena (Fria claridade)

Temos, por fim, Manu Chao. Não requer grandes apresentações, apenas uma chapelada por liderar uma certa rebelião dos músicos contra as imposições das grandes editoras discográficas. Foi outro protagonista do hit parade balealense, no inesquecível Verão de 1999, em que me calhou estar atrás de um balcão a servir copos. Que até escorregavam melhor quando ouvíamos isto.



Próxima estación... Esperanza, Manu Chao (Me gustas tu)

Entregas anteriores: I, II, III e IV

9 comentários:

Teresa disse...

Pano-cru sempre, sempre! Ainda não tinha leitor de CD e já tinha o disco... eloquente, não?

Eu costumo dizer chapa zero, que engraçado...

Carla disse...

belos sons para este domingo

Por entre o luar disse...

beijinho lunar:D sorrisinho terrestre:D

purita disse...

o primeiro manu-chao sim, o clandestino e companhia sim, este nem tanto!:D

Huckleberry Friend disse...

Teresa, mais um ponto de sintonia... a primeira música do Godinho que trauteei foi O primeiro dia, ouvido num disco de vinil do meu pai. Beijinhos!

PS: Não sei qual das chapas é a original e qual a corruptela...

Carla, obrigado e um beijinho. Boa semana!

Por entre o luar, sorrisos e beijos para ti também!

Purita, também gosto do primeiro álbum. Até o acho melhor, do ponto de vista musical, mas esta selecção também tem em conta o contexto em que os ouvi... beijinhos!

Sofia disse...

Panu-cru? E o Campolide, já te esqueceste? Eu escolhia logo a discografia completa! LOL Eu e as minhas indecisões!

A Lula é óptima no Cd, mas ao vivo nada simpática. Mas descansa que não vamos deixar de ser os únicos balealenses a ter aquele amor.

Manu Chao? Metia-me já num carro sem destino a ouvir esse disco! As músicas dele cheiram a viagem e a pôr-do-sol!

beijos

Huckleberry Friend disse...

Claro que não me esqueço do Campolide, minha querida acompanhante de todos os concertos! Esse disco tem uma das melhores músicas do Sérgio: Espectáculo, aquela das duas mãos agarradas / mão a mão no dia-a-dia. Em 1994, fui a um concerto no Coliseu em que, depois dos encores previstos (dois ou três), o homem cantou esta música, que não estava no programa. "Esta não ensaiei com a banda que está a tocar comigo", avisou. Depois de os ouvir, ninguém diria... beijinhos!

PS: Vai escolhendo o itinerário e os discos para a próxima viagem, venha ela quando vier!

tiagovqueiroz disse...

Meu querido amigo,

2º andar direito... diz tudo. Só falta clarividência para quem quiser perceber e apreciar a essência das coisas.

Este minho realmente é um poço de boa e ecléctica discografia... obrigado, again and again...

Abraço

P.S. Aguardo o teu centro ou passe, como preferires...

Huckleberry Friend disse...

Caro mio, diz-me o que ouves, dir-te-ei quem és... abraço retribuído, conta com remate para breve.