quinta-feira, 6 de março de 2008

Uma música nova

Embora tenha fama justificadíssima de ser vidrado nos oldies, gosto muito de ouvir música nova. Esta miúda pode vir a dar cartas. Tem 19 anos, como a amiga que me deu esta sugestão (obrigado, P.) e 19 é precisamente o nome do seu álbum de estreia. É inglesa, já recebeu prémios e até há quem lhe chame "a nova Amy Winehouse" (disparate total). Seja como for, vale a pena ouvi-la e o videoclip está bem esgalhado.


Adele, Chasing pavements

(...)
I'd build myself up,
And fly around in circles
(...)

7 comentários:

Andreia Ferreira disse...

Por que é que os meus 19 anos não foram assim?? Ai vida cruel :D

Beijinho

Huckleberry Friend disse...

Andreia, não foram os 19 mas podem ser os que tiveres agora... nunca é tarde! Parar é morrer. Beijinhos e vive muito e intensamente!

jrl disse...

gostei. obrigada pela partilha.

macaw disse...

Nunca me canso de ouvir esta música! Está sempre a passar na radio inglesa!

Adoro ambas, a Amy e a Adele, mas acho que não tem nada a ver uma com a outra! A Amy tem mesmo aquele som antigo, dos 60's se não me engano. Podemos talvez comparar com a Duffy (Mercy, gosto muito desta música), embora ache que o som desta seja mais alegre que o da Amy.

:))))

Por entre o luar disse...

Beijinho lunar:)

***SORRISO***

miguel disse...

Eu também gosto dos oldies, até porque sou oldie. Mas isso é memória, e a memória torna-se dolorosa, se constituir alternativa ao presente que detestamos. Ora o contemporâneo renova-se sempre, e afirma-se muitas vezes com enorme qualidade através dos mais jovens, que são os fazedores do mundo que corre. Há que admirá-los, estimulá-los, acarinhá-los e estar aberto a novas propostas. Sempre. A criação e o presente têm de ser motivo de júbilo. Era mais ou menos isto que pensava o Eduardo Prado Coelho.

Huckleberry Friend disse...

Joana, é destas partilhas que se faz o diálogo interbloguista em que tanto me apraz participar. Beijinho e bom fim-de-semana.

Macaw, bem-vinda a este meu ninho de codornizes. Espero ter dado motivos para que a primeira visita não seja a última. Tão-pouco descortino semelhanças entre a Amy e a Adele, para lá do talento precoce e em boa hora reconhecido. Vou espreitar a Duffy, que não conheço. E também darei um salto para ver o que o teu planeta diz. Beijinhos!

Por entre o luar, ontem vi a lua pro entre árvores apenas silhuetadas contra o céu escuro. Foi bom. Sorrisos e beijinhos.

Miguel, os oldies são aquela poltrona na qual, por mais coçada, sabe sempre bem sentar. Mas não podemos, é claro, adormecer na poltrona para sempre ou deixar que a ela nos amarrem. É bom dar o salto e saber inspirar ares renovados e inspiradores. Abraço!