sábado, 8 de março de 2008

Se fosse só ao sábado...

Winsor McCay, Little Nemo in Slumberland

On a lazy Saturday morning when you're lying in bed, drifting in and out of sleep, there is a space where fantasy and reality become one. Are you awake, or are you dreaming? You see people and things; some are familiar; some are strange. You talk, you feel, but you move without walking; you fly without wings. Your mind and your body exist, but on separate planes. Time stands still. For me, this is the feeling I have when ideas come.
Lynn Johnston, Lynn on Ideas

7 comentários:

Bruno Mocelin disse...

Sábado é sempre surreal, principalmente os que você acorda assim, desorientado. Com "o sol comovido, imtrometido querendo lhe acordar".
Gostei muito dessa "Your mind and your body exist, but on separate planes." Abraços, Huck.

SF disse...

Não consegui ler-te, sequer... estou de rastos. Volto depois, refeita e com calma. Como prometi, vim só dizer-te o que achei: estou tentada a afirmar que este concerto foi o melhor de sempre.

Beijinhos e boa noite :)

pin gente disse...

I think I'll go back to bed even it's sunday

Por entre o luar disse...

:) beijinho e sorriso friorento, pois na beira está frio..lool

Mas ainda se vê a lua:P

Huckleberry Friend disse...

É verdade, caro Bruno. E não é que o sol acabou mesmo por fazer-me saltar da cama, para uma passeata a pé pela minha querida Lisboa? Foi revigorante, embora tão-pouco possa assegurar que corpo e mente estivessem no mesmo sítio. Abraço para ti e um beijo à Sammia.

SF, contigo não falo enquanto não ler nos Espaços Perdidos um relato exaustivo desse concerto que tanta inveja me faz... beijinhos e boa recuperação!

Pin gente, sometimes it's the best option, but monday will eventually arrive!

Por entre o luar, um beijinho quente para aplacar o frio beirão. E uma lua qualquer, na fase que tu escolheres :)

miguel disse...

Pedro: eu nao sei s este texto é uma ficção ou o relato de uma experiência. Mas , garanto, comigo passa-se o seguinte: no limbo que separa sono e estado vigil sinto por vezes uma enorme capacidade criativa, um discurso fluido com as palavras a sairem em torrente ou a sensação que poderia fazer desenhos quase perfeitos ao ritmo , sem erros, do traço ntural do lápis. Isto acontece-me , por vezes, nesse limbo que, julgo, o autor descreve.Garanto que isso me acontece.

miguel disse...

...e não necesariamente ao sábado.