sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Courrier Internacional hoje nas bancas

O meu jornal transformou-se em revista e o primeiro número no novo formato saiu hoje. Sou suspeito, mas acho que está bonita e que merece ser lida. E adorava ter as vossas opiniões - sem papas na língua!


The Beatles, A day in the life

I read the news today oh, boy
About a lucky man who made the grade
And though the news was rather sad
Well, i just had to laugh
I saw the photograph

NOTA: Obrigado aos que ontem apareceram no lançamento!

18 comentários:

miguel disse...

Envergonhado por não ter ido ao
re-lançamento do pojecto do qual este amigo talentoso é um das (poucas) peças fundamentais, aqui me penitencio e aproveito para desejar fôlego renovado ao "Courrier Internacional" na senda de grandes sucessos.

Huckleberry Friend disse...

Nada de penitências, caro Miguel. Muito obrigado pelo fôlego que transmites e, se queres animar mais este teu amigo, regressa depressa à publicação de entradas no teu algeroz! Um abraço amigo.

Maria del Sol disse...

Confesso que não leio habitualmente o teu jornal (agora revista), mas a capa está bastante apelativa. Vou espreitá-la com mais calma no quiosque :)

Besos!

marta disse...

Obrigadíssimo pelo teu comentário!

És capaz de me informar onde o posso arranjar este número aqui por Sintra?
e fazer a assinatura? quantos vão sair por ano, ou por semestre ou por mês?

Venho cá ver a resposta. Queria dois deste número.
Belmonte é a comunidade mais antiga.

Hucl, só preciso da vossa morada para entrar em contacto com a secção de comercial? ou coisa que o valha

Eu sei, sou completamente analfabeta em relação a jornais
Risos

Beijinho

av disse...

A revista está bonita e com muita dignidade, como convém ao conceito do Courrier. Parabéns, Huck, pela tua preciosa contribuição para este projecto. Quanto a ontem, gostei de ter ido e também de encontrar amigos antigos, que já não via há bastante tempo. E pelos vistos saí mesmo a tempo de não me cruzar com o meu "amigo" Sócrates, que entrou logo a seguir. Ele tem-me muito respeitinho, e sabia que ia levar nas orelhas...

um beijo

SF disse...

Não conhecia... mas vou comprar e ler atentamente. A seu tempo, opinarei com conhecimento de causa.
Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

María, se a capa está apelativa, imagina o miolo ;) besitos

Marta, o Courrier vende-se em quase todos os quiosques. Para assinar, clica aqui. Sai um por mês e, se assinares, é metade do preço.

Ana, que querida! Diverti-me muito ontem, só faltou mesmo o tête-à-tête entre ti e o PM... beijos!

SF, estás sempre a tempo, com os teus tenros 32 aninhos, de conhecer uma bela revista! Beijinhos

marta disse...

Obrigado Huck


beijinho

Andreia Ferreira disse...

Confesso que não costumo ler o Courrier, mas vou comprar este ;)

Felicidades ao "novo" projecto!

Beijinhos

CVD disse...

Desculpa primo mas não consegui mesmo aparecer...e acredita que tive mesmo muita pena...mas ando sem tempo nenhum e em stress!!

Enfim...

Nem tenho escrito no meu ventinho!!!

Periférico disse...

Sou leitor da versão portuguesa do Courrier desde o primeiro número, ja o era ocasionalmente da versao francesa que agora por terras belgas continuo a comprar de vez enquando.

Acho esta nova versão em formato revista mensal esteticamente bastante apelativa, pode ser que esta periocidade mensal me dê mais tempo para ler a revista e apreciar melhor o seu conteúdo.

Confesso que a versão semanal muitas vezes não conseguia ser digerida na própia semana, tendo por isso adquirido o hábito de ir acumulando courriers na mesa de cabeceira.;-)

Felicidades para a nova vida deste projecto, que como leitor abracei desde a primeira hora!

Um abraço

Huckleberry Friend disse...

De nada, Marta! Beijinhos.

Andreia, espero que a mudança de formato seja ocasião para nos darmos a conhecer a quem não lia o antigo Courrier... obrigado pelo incentivo e fico à espera da tua opinião! Beijos.

Primita, não te preocupes, e toma mas é um beijinho grande e o ombro do primo grande para todos os stresses. Só não aceito que não escrevas mais palavras ao vento. Gosto de lê-las. E olha que faz bem nos maus momentos. Outro beijo muito amigo!

Periférico, os leitores fiéis arrancam-me sempre um sorriso! É fácil encontrar o Courrier na Bélgica? Espero que sim e que continues a ter motivos para ler regularmente a revista. Um grande abraço!

SF disse...

Curiosamente, ouvi hoje um spot de rádio que falava do seu novo formato... Há coisas do 'catano'!!!
Sai na última 6ª feira do mês, certo? Vou ver isso, sim senhor.
Beijinhos :)

Huckleberry Friend disse...

Vê com olhos de ver, ouve o Godinho com ouvidos de ouvir e depois volta com dedos para teclar comentários e entradas bloguísticas! Beijinhos.

purita disse...

desculpem-me ser a voz da discordância, mas eu preferia a edição semanal!:)
[o conteúdo nem discuto, já que temos sido bem habituados!]

Huckleberry Friend disse...

Purita, tu e muitos. Mas espero que a qualidade do mensário compense a saudade que sentirás três sextas-feiras por mês! Beijo.

João Pereira dos Santos disse...

Lamentávelmente, em termos de qualidade dos conteúdos, é já seguro afirmar que a edição mensal fica bastante áquem dos padrões anteriores. As primárias americanas foram quase inexistentes nestas edições, o que jamais aconteceria na edição semanal.
Isto levará a uma inevitável quebra do número de leitores, habituados aos altos padrões anteriores. É pena que publicações de qualidade não tenham pernas para andar neste deserto de inteligência que é Portugal...
Não tenho dúvidas que o Courrier tem os dias contados, e não censuro a Impresa por isso. De facto, muito dificilmente o jornal poderia ser rentável neste país. Por isso, desejo a todos, em particular à redacção, cujo empenho foi inexcedivel, boa sorte em projectos futuros.
Abraço a todos.

Huckleberry Friend disse...

Caro João, antes de mais bem-vindo a este blogue! Lastimo muito que o novo formato do Courrier não lhe agrade... é certo o que diz sobre as presidenciais americanas. Numa revista mensal, o ritmo é outro, os assuntos são menos os da ordem do dia e há conteúdos do semanal que deixam de fazer sentido. Já terá reparado, porém, na melhor apresentação das reportagens de fundo, na melhoria da qualidade do produto (papel, fotos, grafismo)? Como jornalista do Courrier, agradeço as suas palavras de apreço e só posso desejar que a sua profecia não se verifique. É para isso que trabalhamos... um abraço e intervenha sempre que quiser no codornizes.