quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Sonatas e baladas ao luar

Perdoarão a insistência em música que alguns consideram demasiado kitsch, ou mesmo pirosa, mas foi a forma que encontrei de agradecer os sorrisos permanentes que uma comentadora envia para este blogue e que têm o condão de suscitarem outros, nomeadamente o primeiro que esbocei nesta manhã de trabalho. Para que nenhuma estrela, cometa, nuvem ou fogo-fátuo tape o luar, que inspira músicos e poetas e evita trambolhões em noites escuras de Inverno, aqui vão duas canções baseadas em lendas da Lua. E uma faixa mais erudita, para que outros me não crucifiquem...

La Oreja de Van Gogh, La estrella y la luna

Mecano, Hijo de la luna


Wilhelm Kempff, Sonata ao luar de Beethoven (primeiro andamento)

11 comentários:

miguel disse...

Ainda não ouvi as nmúsicas mas registo com agrado:

1º -... a entrada em si, com a qualidade literária do costume, mesmo que aparentemente "feita em cima do joelho"

2º - ... a introdução gradual , embora cautelosa, do debate à volta do "piroso" e do "kitsch" e, o que é mais, os próprios exemplos "pirosos" e "kitsch" que vão sendo propostos para ouvirmos, enquanto expressão de um gosto pessoal!

Huckleberry Friend disse...

Tu tens olho, pá! A entrada foi mesmo feita em cima do joelho, Miguel! Com o Courrier Internacional a fechar a sua primeira edição em formato de revista mensal (sai a 25 de Janeiro), o trabalho aperta. Mas a vontade de blogar não esmorece e o gesto que ditou esta entrada é sincero!

Quanto à discussão sobre piroso e kitsch, um dia perguntei a um amigo: "Qual é que achas que é a diferença entre piroso, kitsch e foleiro?". Resposta pronta: "Tu, por exemplo, acumulas».

Um abraço amigo!

Sofia disse...

Como é que eu não sei a primeira? É de que disco?

A segunda lembra Madrid e lembra a Madrinha que nos contaminou... só falta cá o 'pesado', como lhe chamas! Com lunas tens o 'tres lunas', num dueto fabuloso com Luis Pastor. Ou a dança da lua da Geninha e do Ney... a 'Lunera ó luna lunera... luna... lua feiticeira!'

A última esquece que eu sou mais fã que sei lá o quê e já vou passar o dia a trauteá-la! Lembras-te de quando vimos a Anne Quéffelec
no CCB? 'Precioso'...

Até chorei...
beijinhos enormes por todas estas luas

Por entre o luar disse...

Olá:$ antes de mais queria agradecer a gentileza:)

Gostei muito das músicas=P

Fico feliz por saber que os meus sorrisos são tão bem aceites:) e que ajudam alguém a sorrir:)

Beijinhos grandes**

e como não poderia deixar de ser... hoje um enorme sorriso:) repleto de brilho da lua*

SF disse...

Xiii... Há tanto tempo que não ouvia 'Hijo de la luna'. E é tão bonita. Adorei!
Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Sofes, a primeira é do disco Dile al sol, o mesmo que tem El 28 e Cuéntame al oido. Nota negativa em Orejadevangoghologia! Ficas redimida pelas boas sugestões que deste e pela evocação do momento Quéffelec (ai que ódio a quem pôs fim à Festa da Mùsica), mas não quero cá pesados, que até preciso de perder peso...

Por entre o luar, nem tu sabes como! Para ti, o sol que vi de manhã e que já se escondeu. Beijos

Patrícia disse...

Pronto! Mais uma vez LODVG! E logo das que mais gosto (como quase todas, diga-se de passagem! lol)
Oh Lua que vais tão alta... E que ainda fazes bater muitos corações.
Ok... chama-lhe piroso, kitsch, whatever! That's me!
Besos!

Pat disse...

DANÇAS DE SALÃO

Em cada passo
Percorremos diversos caminhos,
Em cada giro
Viajamos o mundo,
Em cada olhar
Transmitimos desejos,
Em cada toque
Multiplicamos sensações,
Em cada queda
Transcendemos a emoção,
Em cada dança
Sonhamos, com os pés no chão.

Pat disse...

Já agora... em jeito de remate (que não futebolístico, sff!), aqui fica (a URL, já que não posso deixar o video)... Let's dance! E virou!
http://www.youtube.com/watch?v=30AVhf-ZLwM

av disse...

Ainda dos Mecano e a propósito, afilhados: "Hermano Sol, hermana Luna". Conhecem?
Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

SF, não te tinha visto. É linda, não é? A letra, a música, a história, a voz que a conta/canta... conheces a versão da Sarah Brightman? Não é má, mas prefiro o original.

Prima Pat, são genialmente pirosos e quem não foi um bocadinho piroso é um chatarrão. Obrigado pela sugestão bowiesca e pelo lindo poema, é teu? Beijos!

Ana, não conhecia mas já fui ouvir. Foi inspirada num filme de Zeffirelli sobre São Francisco de Assis. Obrigado e beijinhos!