quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

A medida de todas as coisas

Ursa Maior e Ursa Menor


Arte suma: saber o tamanho das coisas. Disse Protágoras que o ser humano era a medida de todas elas. Nos últimos 364 dias, tive tempo para me preocupar com a altura de um roupeiro, a largura de vários móveis, o preço da gasolina, a espessura de uma televisão, o tamanho de muitas peças de roupa, o valor de uma prestação mensal, o diâmetro de uma jóia, a duração de uma máquina de roupa escura, a temperatura do forno, a distância de Lisboa a um sem-fim de sítios, as calorias de iguarias diversas, a intensidade de tanta coisa boa ou não.

Talvez que o segredo resida na distinção algo paradoxal entre pequenas e grandes coisas. Saber separar o trigo do joio. Sem passar ao lado do que as coisas pequenas têm de grande. Sem fazer grande coisa das que são e merecem ficar pequenas. Sem apoucar as coisas verdadeiramente grandes. E sem deixar, tão-pouco, que se agigantem para lá de um limiar que cabe a cada um descobrir.

Gosto de viver num mundo a muitas dimensões...

4 comentários:

addiragram disse...

As pequenas Grandes coisas.....Quando nos deixamos de preocupar com o tamanho?

Huckleberry Friend disse...

Acho que nunca, addiragram... mas devíamos, ou não? Beijos.

anak disse...

eu sou a ursa maior....lol

Huckleberry Friend disse...

Tu és a maior e disso não há dúvida... quanto a seres ursa, acho que todos somos ursos de vez em quando. Por vezes ursinhos carinhosos (já não te deves lembrar, eram uns desenhos animados pirosos de quando eu era miúdo), por vezes ursos pardos cuja cor ninguém sabe qual é, por vezes outros ursos (muitos!) que te desafio a descobrir ao longo da vida. O importante é ter sempre presente que na ponta da Ursa Menor está a Estrela Polar, que nos ajuda a não perder o Norte. Um beijo grande!