quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

O voo da codorniz com Google Earth (XIII)

Saint Jean de Luz/Donibane Lohizune, província de Lapurdi, País Basco francês

Uma noite e uma manhã desencontradas, há dois anos. Jantar no último restaurante aberto, como não podia deixar de ser. Axoa d'espelette, vitela tenríssima com uma pimenta que há por ali em résteas lindas, mas caríssimas. Kir basque, com patxarán e txakoli a fazerem as vezes do crème de cassis e do champanhe. Vestígios de neve na rua. Passeio marítimo apenas parcial, porque estava frio. Casas com riscas vermelhas. Ambiente de estância balnear fina, como certa vez nas Astúrias... nem sinais da violência terrorista da Euskadi espanhola, embora Saint Jean de Luz seja um ponto estratégico para os ignóbeis etarras.

Partida tardia rumo a Biarritz, com a quasi-certeza de irmos encontrar fechado o hotel. Confirmada. Motel à beira da estrada, coisa de filme série B. Rimo-nos e ainda fomos para os copos.

Regresso a Donibane depois de encantos em Miarritze e chuva impossível em Bayonne, com o museu do chocolate pelo meio. Feira do artesanato, vinho quente na rua, uma igreja impressionante, miúdos lindos, lojas que até a mim me daban ganas, cachorros quentes cheios de batatas, mais chocolates, de novo a marginal, agora ao comprido. Saudades, a promessa de lá voltarmos num dia de sol. Até podia ser hoje.

5 comentários:

Por entre o luar disse...

Passei mesmo para deixar um sorriso vindo da lua=P que agora está a encontrar dias mais soalheiros:P

beijinhos**

Huckleberry Friend disse...

...muito embora algumas nuvens e uma fímbria de neblina se tentem imiscuir! beijinhos também!

av disse...

Tem graça: ainda hoje bebi um txakoli ao almoço, a acompanhar umas alcachofras divinais, uma tortilla de bacalao e um prato de jamon serrano e queso manchego. Tudo isto em Madrid, no Pimiento Verde (Velasquez, 42) que recomendo vivamente. É tudo bom e não é caro.

Hás-de voltar num dia de sol, claro. Ou num de chuva, que o clima não interessa nada quando se está com quem nos pinta o céu de azul. Certo?
Beijinhos

Sofia disse...

'o clima não interessa nada quando se está com quem nos pinta o céu de azul. Certo?'

Isso é uma grande verdade, Ana!
Que inveja que eu tenho do teu almoço!

Pedro, pequenas grandes viagens as nossas... e deixam saudade, tanta. Do frio e do calor, dos banhos de sol e de chuva! Da magia e do romance, da procura de sítio para dormir, para almoçar e jantar... quase sempre o último quarto, a última mesa... o melhor sítio! Isso é tão nós...

Vá lá, vem cá buscar-me e vamos embora os dois... ;) sem destino...

beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Ana, isso não se faz! Aguar a boca de um pobre trabalhador quando ainda falta um bocado para a hora do almoço... mas olha, tenho aqui no tarro tagliatelle com tomate seco e queijo Edam, feito por quem me (ou comigo) pinta o céu e, por vezes, a manta. Certeira a observação meteorológica, aliás, a nossa viagem ao País Basco não foi toda sotto chuva. Também houve sol e neve, ficámos num quarto sem aquecimento e eu até dei um mergulho na Concha de San Sebastián. Isto em Dezembro...

PS: Já apontei o endereço do pimiento, para usar daqui a umas semanitas e depois fazer pirraça!


Também já tenho saudades de viajar contigo, Sofs. Falta pouco para a próxima viagem marcada, mas quem sabe se antes disso não se nos cruza outra pelo caminho? Vá, salta já para a porta da biblioteca (pode mesmo ser nestes preparos) e vamos correr mundo!