quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Mamonas assassinas

Desculparão, mas adoro o nome deste conjunto, de que tive notícia pela primeira vez quando todos os seus membros morreram num avião que caiu. É forte pena, porque tinham coisas com graça. Não tanto o batidíssimo Vira vira, que decerto dançarei na festa de São Sebastião do Toxofal de Baixo, quanto este Pelados em Santos. Porque hoje me falaram de côco e de doces de côco, de que nem sequer sou fã, mas que é uma expressão simpática...

7 comentários:

JP disse...

Em 1996 comprei o disco, o último disco.
Logo quando eu esperava mais da irreverência do grupo.

Em 1994 Ayrton Senna morreu, logo quando esperava por mais recordes daquele que considero o melhor piloto se sempre na F1.

Em 1982, no Mundial de Espanha, o Braisl morreu aos pés da Itália, logo quando eu esperava mais dos canarinhos.
E nunca mais puxei por eles.

Fica uma reflexão/lição para a vida: Não esperar tudo do Brasil e fazer mais por mim próprio.

Um abraço.

Huckleberry Friend disse...

Parece-me uma excelente máxima. Outra: não acabar com um blogue de que a malta gosta! Vá, segue em frente... e um abraço.

Por entre o luar disse...

Também lhes achava bastante piada;)

Tive pena quando morreram...:(

beijinhos e sorrisinhos** da lua...=P

CVD disse...

Eu acho que a malta só os conheceu porque morreram...coitados! mas geniais!!!lol...

Mad disse...

Eram absolutamente originais e irreverentes! Gostava imenso deles.

Sofia disse...

Olha do que te foste lembrar! Já andas a antecipar o bailarico toxofalense, estou a ver! Acho que também só me lembro deles depois de morrerem, mas ainda fizeram sucesso!

beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Por entre o luar, Mad, prima Clarinha: partiam loiça, que é algo que sempre fez e faz falta. A morte deu-lhes fama, mas o mérito provaram-no em vida. Beijos e bom fim-de-semana para todas!

Sofia, o bailarico espera-nos no sítio do costume. E espera-nos ansiosamente. É o quinto a que vamos juntos e o quarto bateu forte. Aguentamos? Um beijo.