quarta-feira, 7 de maio de 2008

E as calmas mães intrínsecas sentam-se / nas cabeças filiais

Guiados por Herberto, continuemos a homenagear essa bela instituição que é a mãe. Se ontem a vimos retratada por mulheres, é justo que hoje entreguemos a paleta e o pincel aos homens.

Alfredo Ramos Martínez

Bryce Brown

Fernando Botero

Gustav Klimt

Joan Miró

José de Almada Negreiros

Keith Haring

Maxim Gorki

Paul Gauguin

Ravi Varma

Sebastião Mendes

4 comentários:

Meg (sub Rosa) disse...

Olá, caro Huckleberry, grande Friend:
Muita bela esta seleção, uma pequena e expressiva exposição.

E belíssimo o poema à amada dedicado.
Estive em recesso que ora termina, espero.
venho agradecer o belo e reflexivo comentário sobre Vieira, muito bem observado.
Aliás, por alguma razão que só agora dou por ela, faço este agradecimento aos dois, pois a S. disse lindamente a respeito. (de Vieira)

Um beijo aos dois e desculpem a sintética forma: são quase seis da manhã aqui e estou há dois dias indormida.
Insónia!

M.

Huckleberry Friend disse...

Querida Meg:
É sempre um prazer receber-te aqui no ninho... fico contente por gostares do que por aqui vou publicando. Também sou assíduo no Sub-rosa, embora nem sempre me pronuncie! Lembro-me bem da entrada sobre Vieira. A S. é mais entendida no assunto do que eu, como se viu pelos comentários. Retribuo o beijo, amiga, e desejo-te um bom descanso. Até breve!

Sophiamar disse...

A m�e,uma institui�o como dizes. E as paletas masculinas trataram-na com a beleza que sempre teve.

Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

É verdade. Mulheres e homens retrataram a maternidade de forma sublime. E que dizer das inúmeras esculturas, canções, poemas e filmes sobre este assunto? Beijo, Sophiamar!