quarta-feira, 14 de maio de 2008

Os nossos amores

Isto é para uma amiga que vive longe. Estivemos a falar de amores. Do meu e do dela. E do trabalho que dão. E da força que têm. E do bem que nos fazem. E dos passados que varremos para debaixo do tapete. E daqueles que guardamos no bolso, só para podermos pôr a mão e sentir que continuam lá, no momento em que as comissuras dos lábios ameaçam curvar-se no sentido descendente (travão às quatro rodas, marcha-atrás, sorriso reposto!). E das palavras que o presente nos obriga a dizer. E de como ele nos silencia perante as maravilhas da vida. E dos futuros que construímos em nuvens brancas acasteladas por cima do mar. Com vista para o Sol, sem que nos queime, mas por ele aconchegados. Fazendo minhas as tuas palavras, miúda a valer, promete-me que vais continuar a acreditar! Há jeitos mansos que só a pessoa certa sabe ter...

Chico Buarque, O meu amor

5 comentários:

Sammia disse...

Poxa meu amigo, me surpreendes!
Muito obrigada denovo, teu apoio e palavras me faram mais forte a crer que amar valerá muito a pena.
Torça por mim amigo, pois eu faço o mesmo por vocês.

Miuda a valer agradece! :)

Sammia disse...

Ah sim e vejas: Esta é uma das nossas músicas temas pois é a nossa cara. No alvo lol

Huckleberry Friend disse...

Sammia, querida... o amor alimenta o amor, não é? Tem de ser regado todos os dias, porque é uma plantinha frágil. Mas é muito resistente: se for bem acarinhado, cresce viçoso contra todas as infestantes. Beijinho e muita força, amiga! Queremos palmeiras, samambaias, jacarandás e embondeiros a crescer dos dois lados do mar. Ah, e limoeiros, claro!!! Ah, e dá um abraço ao Bruno.

pin gente disse...

gostei demais

abraço

Pedro disse...

Que bom, Luísa! Sabes, adoro ouvir o Chico a cantar músicas que escreveu para vozes femininas (coisa que faz amiúde, como outro dos meus ídolos musicais, Sérgio Godinho). O meu amor, Teresinha e Folhetim estão entre as preferidas. Beijo!

Huckleberry Friend