quinta-feira, 8 de maio de 2008

E as mães / aproximam-se, soprando os dedos frios

Mais um beijo a cada mãe deste mundo. O poeta lançou o mote e o codornizes pôs-se a mostrar sorrisos e lágrimas de filhos e progenitoras. Vistos por mulheres, vistos por homens e, hoje, vistos por um homem que as soube retratar de modo tão notável quanto diverso. Eis a maternidade vista por Pablo Picasso. Só é pena que, não obstante a beleza destas imagens, o artista sempre tenha sido uma besta com as mulheres que se lhe cruzaram no caminho.









4 comentários:

Manuela Viola disse...

Só uma Mãs sabe o que é sê-lo. E explicar? penso que ninguém é capaz, porque apenas se sente.
Bjo.
(Já coloquei nas fotos as localidades.)

RAA disse...

Magnífico.
Um abraço.

JG disse...

Comoveste-me, Huck.
Tenho mãe muito velhinha, com 93 anos, que amo muito e que vive comigo, numa dependência afectiva total.
Não posso, nem quero pensar, se um dia não a sentir aproximar-se, soprando os dedos frios.

Um abraço

Huckleberry Friend disse...

Manuela, mesmo sem explicação, o certo é que ser Mãe é uma coisa linda! Beijos e bom fim-de-semana.

PS: Com que então Durham e Newcastle... não conheço, mas fico com vontadinha!


RAA, outro abraço e muito obrigado!

JG, deixa apenas que te diga que a comoção viaja nos dois sentidos. Um abraço forte e até breve!