segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Disco pedido


Cliff Edwards, When you wish upon a star
(de Pinóquio)


É o grilo falante que canta, no Pinóquio, a canção que nos quer fazer acreditar que todos os desejos se podem realizar. Outra versão memorável é a de Louis Armstrong, que prometo para outro dia (dias para desejar há sempre...). O clip tem vários momentos Disney, porque precisamos deles. E porque vi muitos, sempre por alturas do Natal e com gomas da Heller compradas na Versailles, na companhia de quem quero que veja este filme e acredite em todos os sonhos.

12 comentários:

ana vidal disse...

Que amor, Pedro!
Com este disco pedido não há princesa que resista...

Marta disse...

Olá!
Encontrei o seu "ninho" através da "nuvem" do seu pai (pediatra do meu filho Gonçalo).
Parabéns pelo blog...tem-me feito recordar muito a minha infância (com este disco pedido, com o Era uma vez a vida, com o Bocas...)!
É com estes momentos que quero que o meu filhote cresça (Disney, Tom Sawyer, Verão Azul)...já comecei a fazer a recolha. A minha próxima compra é o DVD de "Pedro e o Lobo" de Sergei Prokofiev.

Obrigada pelas recordações :)

Vou passando por aqui!

Marta Falcão Afonso

Huckleberry Friend disse...

Ana, a princesa merece viver muitos momentos Disney, até porque é mais bonita do que as que aparecem no filme. Beijinho grande!

Marta, fico muito contente por tê-la cá e agradeço as suas palavras tão simpáticas. Prometo que o baú vai ser aberto muitas vezes para mostrar ao mundo coisas que um dia me fizeram feliz. Vá passando por cá e deixe sempre a sua marca! E toda a felicidade do mundo para si e para o Gonçalo.

PRINCESA disse...

Pedro, hoje passei de rainha a princesa, mas às vezes, vale a pena! Esta princesa não te resiste! Pedi-te esta música hoje de manhã e cá está ela... O meu primeiro 'wish' de hoje, aqui concretizado! Obrigada meu querido, és um princípe. Sabes que se acreditarmos mesmo, mesmo, com muita força as coisas acontecem, tornam-se realidade? É verdade, vi num filme da Disney!

beijinhos mágicos

Mário disse...

É bom ter um filho que acredita na paixão. Espero que também acredite no Paizão!

PS: o Grilo Falante é que sempre me causou "formigueiro nas pontas dos dedos" - é um superego demasiado rígido e dogmático. Mas, em todo o caso, melhor do que a celebérrima Picareta Falante!

Mário disse...

Marta
Não se esqueça que a versão original das histórias "é a que deve ser". O Lobo Mau é mesmo mau, morre no fim assado no caldeirão, e o porquinho saboreia-o ao jantar. E a Bruxa do João e Maria arde no forno entre urros e estertores.
O Bem e o Mal não fazem tréguas e só um pode vencer o combate que tem de ser mortal.
As crianças entendem, desejam e necessitam desta visão maniqueísta. Não podem entrar para o caso a protecção do lobo ibérico ou o sentimentalismo "pró-animal".
Abraços

Huckleberry Friend disse...

Não te sintas despromovida, Sofs... para explicar que os sentimentos valem mais do que os títulos e os papéis, recordo Baudelaire, que Reggiani recitava, sempre, antes de cantar o magistral Sarah de Moustaki:
Cette bohème-là, c'est mon tout, ma richesse,
Ma perle, mon bijou, ma reine, ma duchesse

Por isso, vai pedindo mais músicas, que eu canto "até que a voz me doa".

La Reina disse...

Promovendo-me outra vez e com imensa pena de não poder estar com a minha homónima espanhola que vai hoje à inauguração do novo Prado, enquanto eu, tenho de esperar por quinta!
Quantos aos desejos, olha que eu peço mesmo... ora hoje pode ser, deixa cá ver... uma espanholada qualquer para antecipar Madrid... Faltam 30 horas para a partida! Beijinhos

Huckleberry Friend disse...

Pai, todos os grilos falantes irritam. E todos precisamos de grilos falantes. Julgo recordar, contudo, que o do Pinóquio até tinha alguma humildade no tom.

Quanto aos contos de fadas, é interessante verificar que as versões originais dos mesmos são bem mais sanguinárias (ex.: só o porquinho mais velho não é comido) do que as que hoje se contam. Por vezes há exageros suavizantes. Há uns anos, James Finn Garner escreveu Contos de fadas politicamente correctos, em que pega nas histórias de sempre e ridiculariza essa mania. Gostava de chamar a esta conversa a minha blogueira preferida, pois sei que já estudou as histórias de encantar na perspectiva do belo e do feio.

Anónimo disse...

ohhh que amor!!!!!!!!!bjinhs ana k.

Huckleberry Friend disse...

Tu também vinhas connosco ao cinema natalício, cunhadinha! Eras ainda mais pequenina do que a Sofia, mas ainda te deves lembrar... Olha, quando é que me mandas umas canções para pôr no blogue? Ou a tua irmã tem exclusivo? Beijo grande!

La Reina disse...

Exclusivo para mim claro... esperemos! Ainda hás-de ser mais famosa que a Matúmbina, minha querida! Mas esperemos que o teu nome artístico seja mais melódico, pelo menos! Onde foste arranjar este nome?

beijinhos aos dois