segunda-feira, 8 de outubro de 2007

O voo da codorniz com Google Earth (I)


Cais da Pedra à Bica do Sapato, Lisboa, Portugal

A ideia é sobrevoar o mundo e parar em sítios que me dizem algo. O desafio é deixarem na caixa de comentários algo sobre o que os mesmos locais vos dizem. Uma vez por semana, a codorniz levantará voo. Também aceita propostas de viagens...

9 comentários:

La Reina disse...

És muito fino... Bica do Sapato... o Deli delux é ali ao lado e é muito mais barato! Come-se igualmente bem e o serviço é óptimo... A vista fantástica, apesar das vidraças que nos separam do cais... Ai os cais... Vê lá se vais ao meu... beijinhos

Pedro disse...

Vuestra Majestad tem razão: foi a mercearia gourmet que me levou a escolher este voo inaugural. Que reproduz outro, há dias. Também já reproduzido neste éter por onde nos movimentamos (ganda roda vida, hem?). Já agora, obrigado pelo cais que ergueste e onde continua a saber bem aportar. Um beijinho.

PS: Ah, e just for record, Bica do Sapato não é só o restaurante proibitivo (conquanto bom) que há ali ao lado (pronto, está bem, um dia destes convido-te para lá ires). Era uma bica qualquer que por ali havia e por onde os pobres, sem cheta para comprar copos nem no IKEA, matavam a sede bebendo dos seus tamancos. Com a devida vénia...

tom sawyer disse...

não sabia que as codornizes voavam... mas que onda de cais é essa em que vocês andam?
abraços

ana vidal disse...

A mim o que me lembra a Bica do Sapato é um jantar logo no princípio do restaurante, com um dos sócios na mesa ao lado... o John Malcovich, um dos meus actores preferidos!

TVQ disse...

LUX...The last saloon. Quando aqui chego sinto-me sempre um pouco como o Lucky Luke... É sempre bom quando a nossa cidade nos serve de mote para viajar na memómria!
...Sigamos esta codorniz, porque sabendo ler os sinais, levarnos-á concerteza a bom porto!

Pedro disse...

Ana, idem aspas no que a Malkovitch diz respeito, embora sem a sorte de o ter visto fora dos ecrãs. Da Bica guardo memória de opíparos repastos ou levíssimos aperitivos, além de uma noite muito especial: o ritual iniciático do sushi, cortesia de uma amiga. Deve ter sido para aí o meu segundo melhor jantar de sushi, com saké e tudo. Já não vou à Bica há muito tempo, mas tenho regresso apalavrado.

Querigo amigo tvq, no Lux, quem não dispara mais rápido do que a própria sombra arrisca-se a ser seduzido por ela, por uma barmaid ou um barman. Mas role como role a noite, o importante é acabá-la na varanda, a ver o sol surgir por trás da Ponte Vasco da Gama. E o Mar da Palha a explicar porque é que acha que merecia chamar-se "da Prata". Um abraço.

Pedro disse...

Ah, é verdade, e Sawyer - cuidado com os cais, que ainda cais.

Tom Sawyer disse...

Caro Pedro não quero cair do cais, nem para o cais... era uma 'gracinha'... estou contente com os vossos blogues... neles temos o mar e o campo... realmente vocês completam-se. PARABÉNS!

um abraço Tom Sawyer

Pedro disse...

Thomas, my boy,
Também quis brincar, mas agora releio e a frase é infeliz, sobretudo quando se trata de receber todos os amigos neste ninho de codornizes. Ficas convidado para jantar lá em casa. Se a Sofia alinhar, tomamos um aperitivo ao pé do cais.
Um abraço