quinta-feira, 29 de novembro de 2007

De Agosto a Novembro

video

In the garden, Autumn is, indeed the crowning glory of the year, bringing us the fruition of months of thought and care and toil. And at no season, safe perhaps in Daffodil time, do we get such superb colour effects as from August to November.
Rose G. Kingsley, The Autumn Garden, 1905

7 comentários:

Por entre o luar disse...

Passei pa deixar um sorriso:)

Beijo*

JP disse...

Composição do menino João sobre este post:

"Eu gostu muito do Outono, porque é poçível ver Capuxinhus Amarelos ao sol."

Um abraço e parabéns pelos dois meses e os mais de 4 mil visitantes.

Maria del Sol disse...

Gosto tanto do ruído das folhas secas a estalar debaixo dos sapatos, da luz dourada entre os ramos... este vídeo é uma delícia para os amantes do Outono :)

PMBC disse...

Óptimo filme! Ficamos à espera de mais.

adelaide amorim disse...

O outono � minha esta�o preferida, com suas tardes douradas.
� muito bonito, seu blog. Gosto daqui.
Um abra�o.

La Reina disse...

JP, gostei dessa do Capuchinho Amarelo gostei!

Pedro agora as folhas de plátano seão mais, esperemos... vamos ver este fim-de-semana... mais um de doces e doce, I hope so!

beijinhos de uma amante do Outono

Huckleberry Friend disse...

Ena, tantos! Vamos lá, então:

Por entre o luar: é para ti o sorriso de lua cheia que o teu deixou em mim.

JP: Como Georges Moustaki, moi, j'ai un faibl' pour le soleil et pour les filles. Um abraço e obrigado por "eldorares" este blogue com as tuas visitas!

Maria del Sol: gostar de ouvir estalar as folhas foi o que motivou este filme. Ainda bem que é um gosto partilhado!

PMBC: Mais haverá, está prometido!

adelaide amorim: Também adoro o Outono, coisa que o codornizes tem espelhado... e por estas bandas as tardes têm sido mesmo douradas. Volte sempre!

Reina del otoño, a encerrar em beleza: vai haver mais folhas a fazer mais barulho e vamos ouvi-las e pisá-las, antes que os outros (mínimos) seres de Alexandre O'Neill comecem a trabalhar na sua remoção... depois, ala para o fogão, com o aquecedor jurássico a rugir daquela maneira que me faz pensar em fantasmas protectores. E sweets for my sweet, sempre.