segunda-feira, 26 de novembro de 2007

O voo da codorniz com Google Earth (VIII)

Já aqui estiveram? Em que circunstâncias? Gostaram? Os voos da codorniz, à segunda ou à terça neste blogue, pretendem suscitar a partilha de histórias de viagens. Vamos a isso?

Cabo de Gata, Espanha

Foi ao nascer do sol que me deixei enfeitiçar pelo Cabo de Gata, ou no Cabo de Gata. Eram oito da manhã do último dia do ano passado e a luz dava às rochas escuras um tom de cobre. A tentação era grande de nos deitarmos para trás, sobre a pedra, permitindo que nos penetrassem os raios amarelados daquele Inverno... só que a beleza da luz não aquece e a terra ainda estava fria, pelo que foi de dentro do carro, chauffage ligada, que tentámos adivinhar o que pensaria o Mediterrâneo. Depois da feia Almería, este finis terrae deu-nos ânimo para percorrer toda uma costa. Depois de Ronda e Gibraltar, com macacos assanhados e tudo, o ar sevilhano foi testemunha de um mergulho de cabeça num daqueles anos que mudam uma vida. Ou duas.

5 comentários:

Skyman disse...

Talvez quinze anos, a útima vez que por lá passei. Não te vou dizer que houve grande poesia no mmomento, pois era fim Abril, altura em que o nosso grupo todos os anos aproveitava para fazer winsurf em Tarifa. Nessa altura demos uma volta alargada pois o vento estava a rodar no quadrante, não permitindo entrar na água.
Deve estar muito diferente nos dias de hoje, pois sei que a pressão urbanística já era muito forte na altura.
abraço

Teresa disse...

Não cheguei mesmo-mesmo lá, mas deu para o avistar. Há três anos um amigo meu, que tinha comprado um veleiro, foi-o levando por etapas Mediterrâneo acima para estar em Palma na altura das regatas. Num fim-de-semana apanhámos o barco em Fuengirola e lá fomos. Mas não soprava nem uma brisa e tivemos de ir a motor o tempo todo. Mesmo assim, foi um magnífico fim-de-semana, mesmo com o inconveniente da viagem de carro ainda maior no regresso.

La Sirena disse...

O meu ovo aqui posto:

Fim e princípio
Silêncio primordial
Paz azul e verde
Ar transparente
Beleza inteira
Último dia de um ano
Amor verdadeiro
Fim e princípio

Este ano vamos a outro finis terrae, sabias? Já falta pouco...

Huckleberry Friend disse...

Skyman, o betão tem asfixiado a costa espanhola muito mais do que a nossa, mas a zona do Cabo de Gata propriamente dito mantém-se virgem. Para o lado de Almería, há uma urbanização gigantesca e nojenta chamada Retamar que, se eu mandasse, ia abaixo à bomba. Para o lado de Alicante, há um hotel Algarrobico, em cima da costa, que o Governo expropriou para demolir. Oxalá não recuem, até porque nos últimos tempos tem havido muita demolição coerciva de construções clandestinas e ilegais na costa mediterrânica.

Teresa, apesar dos contratempos, esse relato de viagem só pode criar inveja... espero que tenhas ocasião de repetir, por mar ou por estrada, e que desta vez chegues a ver a Gata escondida com rabo de fora, de preferência ao Sol.

Huckleberry Friend disse...

Sirena del mar:

Mediterrâneo
Sol de Inverno
A terra deu uma volta
Estamos no mesmo lugar

Atlântico
À nossa espera
A vida deu uma volta
Estamos de frente para o mar.