quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Mortadelo y Filemón

Os agentes da T.I.A fazem 50 anos! Aqui vai um abraço fuertísimo para o Mortadelo dos mil disfarces e para o seu chefe Filemón Pi (Salaminho no Brasil, Salamão em Portugal). E cumprimentos para o Superintendente Vicente, a vetusta secretária Ofélia, o desastroso professor Bactério e, em representação dos vilões, o meu preferido: Chapeau, el Esmirriau.
Os tebeos do Mortadelo, presença de longa data lá em casa, chegaram-me, sobretudo, das viagens a Espanha (às vezes iam só os meus pais e traziam-nos aquelas compilações pesadíssimas). Delicio-me com os disparates desta dupla, que, sem que déssemos por isso, fez meio século sem perder a graça. Outro abraço terá de ir, pois, para Francisco Ibáñez, o autor.

6 comentários:

JP disse...

Estes malucos fizeram parte da minha adolescência... que revivo agora.

Semanalmente vou à biblioteca aqui da terra, que tenho a sorte de ficar literalmente do outro lado da estrada, e requisito três álbuns.
Um do Lucky Luke, outro do Spirou e outro de Astérix.

Os "Tintins" (não me refiro aos genitais)já os li todos e são os meus preferidos.

Epa, isto merece um post no "Eldorado" um dia destes!!

Um abraço.

Huckleberry Friend disse...

Jp, welcome back! A BD é de facto uma arte e as personagens que citas fazem parte das minhas memórias dilectas. Acrescentaria todos os Patos Donalds e companhia, a turma da Mônica, Luluzinha e Bolinha e, noutro nível, Corto Maltese. Outros haverá, espero que tu ou outros leitores do codornizes no-los recordem... um abraço!

Mateso disse...

From Oxford ? How do you do?
.........................
Hucky , my dear , it's a pleasure, indeed!

Hugs
.................Generally I'm not so stiff but...you know..."noblesse oblige"... by the way...thanks for you visit.
Hugs

adelaide amorim disse...

Também eu me diverti muito com eles, Hucky (se me permite o apelido) :)
Gostei imenso de sua visita e do belo poema sobre Ouro Preto, que você há de conhecer e amar. Tenho uma boa parte de minha história passada naquele cenário.
Grande abraço.

Huckleberry Friend disse...

Dear Mateso, the pleasure is all mine. Although I'm not from Oxford, I've lived there and was very happy. Lots of hugs to you too, and don't worry about the stiffness, time wears it down. I'll keep stepping by your great blog, you do the same here, ok? Thanks e até breve!

Huckleberry Friend disse...

Sabe tão bem, Adelaide, encontrar afinidades em coisas tão singelas como as gargalhadas que talvez tenhamos dado ao mesmo tempo com as peripécias destes dois sabujos... fico contente por ter gostado do poema, é uma música que adoro, de um autor que também adoro. Continue a passar por aqui, eu também a visitarei. E conte-nos as histórias que tiver de Ouro Preto e de outros cenários. Este ninho não tem porta, todos podem entrar desde que venham por bem! Um beijinho.