terça-feira, 20 de novembro de 2007

Carta cantada



Para a Sofia não ter saudades. Descansa, que o nosso carteiro não há-de morrer tão cedo.

NOTA: Depois de publicada, esta entrada tornou-se parte de um "Cais das Codornizes" involuntário. Aqui, pusemos a tocar uma versão de estúdio. Já o meu cais preferiu ouvir Moustaki ao vivo.

2 comentários:

La Reina disse...

Pura sintonia... um Cais das Codornizes sem ser combinado... gosto...

beijinhos e vê se me escreves uma carta! É a tua vez!

Huckleberry Friend disse...

É bom, sem ser preciso dizer nada... uma carta, dizes? Talvez a mereças, para te fazer companhia num momento de solitude. Baci tanti